KANT E KAFKA DIANTE DA LEI E DA KALUMNIA KANT AND KAFKA BEFORE THE LAW AND THE KALUMNIA

Reginaldo Oliveira, Silva
unpublished
Resumo: A ética elaborada por Immanuel Kant se baseia numa lei determinante de uma vontade esvaziada dos estímulos exteriores ao sujeito. Ao afastar os conteúdos materiais, restou ao filósofo a forma pura da Lei em geral, para a qual empreende um novo fundamento. "Diante da lei" é um conto de Franz Kafka, no qual o herói Josef K. experiencia o fantasmagórico de uma Lei a princípio envolta em mistérios, porque vazia de substância. Assim, no filósofo alemão e no escritor tcheco a modernidade se
more » ... a modernidade se vê confrontada com a Lei, e deles diferentes saídas são apontadas. Com essa breve discussão, pretende-se, primeiro, apresentar como Kant descobre o vazio da Lei que emerge com os acenos iniciais do moderno, em seguida, como essa descoberta exerce papel importante na imaginação de Kafka. Uma primeira hipótese a ser pensada a partir dos dois autores reside em defender que a modernidade, uma vez que investe na derrocada do mundo antigo, se coloca diante da Lei. Seja por meio da investigação da sua fonte a priori seja pela representação de sujeitos enredados nos embaraços de uma Lei fantasmal, ambos os autores são testemunhas das suas implicações para o mundo moderno. Desta primeira, pode-se cogitar uma segunda hipótese, também endossada por uma leitura dos dois autores, a qual sugere que o esvaziamento da Lei implica numa nova relação do indivíduo com o mundo e consigo. Palavras-chave: Kant. Kafka. Modernidade. Lei pura. Liberdade. Abstract:The ethics developed by Immanuel Kant is based on a law determinant a willingness empetied of external stimuli to the subject. When to remove the material contents,remained the philosopher the pure form of Law in general, for which undertakes a new basis. "Before the law" is a tale by Franz Kafka, in which the hero Josef K. experience the phantasmagoric a law the principle shrouded in mystery, because empty of substance. Thus, in the German philosopher and in Szeck writer modernity is confronted with the Law, and of them different outputs are indicated. With this brief discussion, it seeks, first, to introduce as Kant discovers the emptiness of the Law that emerges with the initial nods of the modern, then, how this discovery exercises an important role in Kafka's imagination. A first hypothesis to be considered from the two authors lies in defending that modernity, since investing in the collapse of the ancient world, stands up against of the Law. Either by means of the research of its a priori source or of the representation enmeshed individuals in embarrassments of a ghostly Law, both authors are witnesses of its implictions for the mordern world. This first, can cogitate a second hipothesys, also endorsed by a reading of the two authors, which suggests that the emptying of the Law implies a new relation of the individual with the world and with himself. Keywords: Kant. Kafka. Modernity. Pure law. Freedom. "Não nos contentemos em quebrar os cetros; pulverizemos para sempre os ídolos", diz Sade (2000, p. 130), no panfleto "Franceses, mais um esforço se quereis ser republicanos!", de A filosofia na alcova. Consciente da tarefa do seu século, o escritor francês, nesta frase, evidencia tanto a derrocada da monarquia quanto a necessidade de
fatcat:ezv64bhupbdztf3dbprt2r46re