Jovens (en)cena: arte, cultura e território

Beatriz Akemi Takeiti, Maria Cristina Gonçalves Vicentin
2016 Cadernos de Terapia Ocupacional  
Resumo: Este trabalho discute o lugar das invenções estéticas nos modos de subjetivação de jovens em contextos de vulnerabilização e violências. Pretende, ainda, refletir como as ações empreendidas por estes jovens podem transversalizar a discussão entre terapia ocupacional e cultura. Para tanto, trabalhamos com alguns fragmentos de histórias de vida de três jovens engajados em distintos coletivos culturais -sarau de literatura marginal, movimento hip hop e produção audiovisual -nos distritos
more » ... al -nos distritos da Brasilândia e Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da cidade de São Paulo, os quais pudemos acompanhar por meio de incursões etnográficas nas ações culturais que protagonizam ou das quais participam e de entrevistas em história oral. As produções de subjetividades juvenis têm se configurado como um território-vivo marcado por experiências não só de pobreza e violências, mas, sobretudo, de produções coletivas, criativas, formas inéditas de vida tecidas por meio de invenções estéticas na periferia, em que o estigma de ser jovem, negro e pobre dá lugar ao emblema, ao orgulho de ser da periferia. Este lugar-território emblemático aparece em destaque nos coletivos culturais, particularmente no Sarau Poesia na Brasa e no Cinescadão, duas estratégias de arte/cultura que invocam uma forma de resistência, transformando as experiências das violências e vulnerabilizações vividas na periferia em práticas éticas, estéticas e políticas. Palavras-chave: Juventude, Arte/Cultura, Território, Terapia Ocupacional. Young (in)scene: art, culture and territory Abstract: This paper discusses the importance of aesthetic inventions on modes of youth subjectivity in the vulnerability and violence contexts. It also intends to reflect on how the actions undertaken by these youth can cut across the discussion between occupational therapy and culture. Therefore, we worked with some fragments of life stories of three young people engaged in cultural collective distinctive -marginal literature soiree, hip hop movement and audiovisual production -in the districts of Brasilândia and Vila Nova Cachoeirinha in the north of the city of São Paulo, whose we could follow through ethnographic incursions in protagonized cultural activities or in which they participate and oral history interviews. The youth subjectivities productions has been configured as a live territory marked not only by poverty and violence experiences, but, also by collective and creative productions, a brand new life style through aesthetic inventions in the periphery where the stigma of being young, negro and poor gives place to an emblem: the pride of being from the periphery. This emblematic territory is highlighted in cultural collective, particularly in Sarau Poetry Brasa and Cinescadão, two strategies of art and culture that invoke an experience resistance, transforming the experiences of violence and vulnerability that are experienced on the outskirts, in ethical, aesthetic and policies practices.
doi:10.4322/0104-4931.ctoao0667 fatcat:nxd5ykkyafa4tk6c3pgzgbqcmi