SÍNTESE DO MIRISTATO DE ISOPROPILA CATALISADA POR LIPASE DE Candida rugosa IMOBILIZADA EM PARTÍCULAS MAGNETIZADAS DE ESTIRENO E DIVINILBENZENO

C. A. P. Souza, M. V. C. SILVA, L. Freitas
2017 Blucher Chemical Engineering Proceedings   unpublished
RESUMO -As melhores condições da síntese do miristato de isopropila empregando lipase de Candida rugosa imobilizada por adsorção física em partículas magnéticas de poli(estireno-co-divinilbenzeno) foi determinada empregando a técnica do planejamento de experimentos. O suporte foi sintetizado via polimerização em suspensão e magnetizado pela adição de íons Fe 2+ e Fe 3+ . A influência da razão molar entre o ácido e o álcool e da temperatura foi avaliada em experimentos realizados segundo um
more » ... jamento experimental 2² estrela rotacional com 4 pontos axiais e 3 replicatas no ponto central. A partir da análise estatística (95% de confiança), verificou-se que somente a razão molar foi significativa, apresentando influência marcante na síntese do éster, obtendo-se 83% de rendimento teórico em 9h de reação. INTRODUÇÃO O Brasil é o pais que apresenta uma das maiores biodiversidades do planeta, porém a utilização de recursos não sustentáveis ainda contempla grande parte da sua economia. Assim, é necessário que haja um avanço nas pesquisas sustentáveis, sendo a biotecnologia, apresentada como uma alternativa para essa mudança no panorama econômico brasileiro. Estima-se que no ano de 2020, 20% dos produtos químicos serão resultantes de processos biotecnológicos (Gonçalves, 2013). Uma importante área da biotecnologia é a implementação de processos enzimáticos, que vem se destacando como uma alternativa promissora pra a substituição de processos convencionais. No entanto, tais processos apresentam algumas desvantagens como a dificuldade de recuperação da enzima, solubilidade em alguns meios reacionais e instabilidade concernente a temperatura e pH. Para solucionar esses problemas a técnica de imobilização de enzimas vem sendo cada vez mais estudada e utilizada (De Castro et al., 2010) . Atualmente, diversos materiais são utilizados como suporte para imobilização de enzimas. Dentre eles, destaque especial pode ser dado ao copolímero de estireno e divinilbenzeno magnetizado, por apresentar algumas vantagens em relação aos demais suportes, tais como: elevada área superficial para imobilizar a enzima, maior estabilidade com relação a temperatura e ao pH e facilidade de recuperação do biocatalizador (Ren et al., 2011) .
doi:10.5151/chemeng-cobeqic2017-073 fatcat:x5fvzoxubfel3mzptckloqqswu