SENGHOR E PORTUGAL

Isabelle Tulekian, Luísa Álvares
2019
Numa das últimas cartas que enviou à sua biógrafa americana, Janet Vaillant, Léopold Sédar Senghor recorda sem rodeios: "Sou um mestiço senegalo-português" 1 . Assim, o teórico moderno da "mestiçagem cultural" apresenta-se como um "euroafricano", herdeiro das tradições convergentes senegalesa e portuguesa. Evocar as suas relações com Portugal e com aquilo a que chama "a lusitanidade" significa portanto adoptar a atitude defendida pelo próprio Senghor na sua busca apaixonada da "negritude": é
more » ... a "negritude": é preciso "mergulhar até às raízes da raça" e voltar às origens do ser 2 , para examinar em seguida as suas afinidades com a cultura e a "alma portuguesa", antes de situar a relação com Portugal e as culturas lusófonas na sua concepção da "única civilização humana possível: a civilização do Universal" 3 . Antes de ir mais longe, devo sublinhar que o meu objectivo é menos biográfico que literário: vou tentar redescobrir, à luz da "Mensagem" lusitana, para usar as suas
doi:10.34630/polissema.vi7.3311 fatcat:bf3sb3fnebdmbk4chizjbz7424