Cefaleia antecedendo paralisia de Bell: Podemos prevenir a paralisia diagnosticando e tratando precocemente?

Marcelo Moraes Valença, Luciana Patrízia A. Andrade-Valença, Laryssa Azevedo, Mário Luciano de Mélo Silva Júnior, Hugo André de Lima Martins, Amanda Araújo da Silva, Louana C. Silva, Daniella Araújo de Oliveira, Mariana de Carvalho Leal Gouveia, Sílvio Caldas Neto
2013 Headache Medicine  
A paralisia de Bell é uma paralisia facial periférica com alta incidência, que apresenta alguns fatores associados, como a gravidez, diabetes mellitus e hipertensão arterial, além da infecção por alguns subtipos do vírus do herpes, o herpes simples e o herpes zoster sine herpete. Uma característica comum aos pacientes com a paralisia de Bell é a ocorrência da cefaleia dias antes da instalação da paralisia, do mesmo lado e em localização periauricular. Questiona-se, portanto, se é possível a
more » ... tificação de um padrão característico da dor associada à paralisia e, assim, evitar a progressão da doença ou atenuação do possível desenvolvimento do déficit motor por se iniciar um adequado e imediato tratamento com supressão do processo inflamatório responsável pelo acometimento do nervo facial. Relatamos o caso de um homem de 50 anos de idade, com paralisia facial do lado direito, com dor na região retroauricular ipsilateral "em queimor", sem apresentar piora durante esforço, sem náusea, vômito, foto ou fonofobia. Aos 15 anos de idade, relatou ter apresentado paralisia facial também do lado direito, com forte dor retroauricular, semelhante à recidiva atual. Estamos propondo critérios diagnósticos para a cefaleia retroauricular associada à paralisia facial periférica idiopática.
doi:10.48208/headachemed.2013.20 fatcat:lgnxlszldna6jkcmcrhzu7ygri