Hospitalizações em menores de um ano pertencentes a duas coortes de base populacional no Sul do Brasil: tendências e diferenciais

Juraci A. César, Cesar G. Victora, Fernando C. Barros, Fernando A. Ramos, Elaine P. Albernaz, Luciani M. Oliveira, Ricardo Halpern, Adelar Breitenbach, Mônica H. Stone, Vânia Fracalossi
1996 Cadernos de Saúde Pública  
Cerca de 11.000 crianças pertencentes a duas coortes de base populacional foram acompanhadas na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, em 1982 e 1993. O objetivo era medir a ocorrência de hospitalizações e sua associação com peso ao nascer e renda familiar e comparar diferenciais entre estes estudos. Cerca de 20% das crianças foram hospitalizadas pelo menos uma vez no primeiro ano de vida; os meninos foram os mais acometidos; as internações por diarréia, apesar de terem sido reduzidas à metade
more » ... eduzidas à metade (3%) em relação a 1983, ocorreram entre os mais pobres; o peso ao nascer mostrou-se inversamente associado às internações por diarréia e por todas as causas. Crianças nascidas com baixo peso ou com renda familiar inferior a três salários mínimos mensais foram cerca de três vezes mais hospitalizadas que as demais. Uma década depois, as hospitalizações continuam bastante freqüentes na localidade estudada; os mais pobres e nascidos de baixo peso são os mais acometidos.
doi:10.1590/s0102-311x1996000500010 fatcat:wegscvorsbekrb5ltev2ldbovm