Relações público-privadas no Metrô de São Paulo [thesis]

Daniela Costanzo de Assis Pereira
Agradecimentos Agradeço primeiramente ao Professor Eduardo Marques, meu orientador, por ter confiado em mim e por ter oferecido uma orientação rigorosa e propiciadora de autonomia, com quem pude aprender muito. Agradeço também aos colegas do grupo de estudos, Carolina Requena, Silveira, Stefano Pagin e agradeço especialmente ao Samuel de Godoy pelas conversas e revisões. Agradeço à CAPES pela concessão da bolsa de mestrado. Ao Professor Rogério Arantes e à Professora Klara Kaiser pelas
more » ... iser pelas contribuições dadas ao trabalho no exame de qualificação. À Rai, à Márcia e ao Vasne por todo o apoio que recebi no DCP. Às pessoas do Metrô que me concederam entrevistas. Agradeço imensamente à Denise Daud, à Silvana Zioni e ao Oliver Cauã Cauê por compartilharem comigo informações e hipóteses que enriqueceram esta pesquisa. Agradeço especialmente a algumas pessoas que me deram apoio incondicional e sem as quais eu certamente não teria conseguido entregar este trabalho. À minha Mãe, Elenise Costanzo, que nas horas mais difíceis sempre me apoiou nas minhas decisões. Ao meu companheiro Rafael Marino, que chegou na hora mais inesperada e me deu muito mais do que eu esperava. Às minhas amigas Beatriz Sanchez, Marina Merlo e Hannah Maruci, amigas do DCP para a vida, presentes em todos os momentos. Aos meus amigos , amigas e amigos presentes e que não mediram esforços para me ver bem nesta fase. Às professoras Rossana Reis e Eunice Ostrensky, mulheres com as quais tive a sorte de contar no departamento quando mais precisei. Às mulheres mais fortes que encontrei pelo caminho, de quem tive acolhimento e com quem aprendi muito sobre a luta feminista: Às companheiras e aos companheiros do Balaio que deram sentido à luta por uma Universidade mais justa e pública: Aos amigos do MongaFest, companheiros com quem aprendi coisas sobre a vida e com quem tenho a sorte de dividi-la Victor Sobreira, Giulliana Lima, Maurício Vieira, Bruno Cunha e Breno Matrangolo. Ao pessoal do Cebrap, agradeço ao Carlos Torres Freire, ao Victor Callil, à Maria Carolina Oliveira, à Luísa Adib Dino e à Graziela Castello pelo apoio e pelo aprendizado. À minha família, que me deu o apoio necessário e me ensinou muito sobre ser solidária. Agradeço à minha Avó Miloca que me ensinou a ser uma pessoa melhor e a não dar importância às pedras do caminho. Aos meus tios e à minha tia que me acolheram em São Paulo, Tia Graça, Tio Zé e Tio Junior, agradeço por terem me dado a possibilidade de uma vida melhor. À Inez, que me deu todo o carinho em forma de palavras de incentivo, abraços e comida. À Fernanda Costanzo, Aline Franchin e Mariana Franchin, primas queridas que me ajudaram de várias formas neste período. À Tia Fátima, que sempre me deu educação, conselhos e amor. RESUMO COSTANZO, Daniela. (2016). Relações Público-privadas no Este trabalho busca compreender a implementação das linhas de metrô em São Paulo e da Companhia do Metropolitano de São Paulo, desde sua formação, nos anos 1960, até os dias atuais. Buscou-se entender quem foram os principais atores nacionais e internacionais, dos setores público ou privado, que participaram das decisões sobre esta política pública em questão. Para isso, foram analisados os processos de tomada de decisão e de implementação das Linhas 1 -Azul, 3 -Vermelha, 2 -Verde e 4 -Amarela. Com os achados da pesquisa é possível argumentar que o Metrô de São Paulo, o qual foi constituído como uma empresa pública capacitada, passou por um rebaixamento do seu corpo técnico e de suas capacidades estatais, que deram espaço ao interesse de atores privados dentro da companhia, acarretando em prejuízo para a empresa pública e em atraso de obras. Tal processo se deu com a ascensão e queda de um modelo de Estado desenvolvimentista e do surgimento de novas visões de Estado influenciadas pelo New Public Management. This work seeks to understand the implementation of subway lines in São Paulo and analyze the Companhia do Metropolitano de São Paulo, from its formation, in the 1960s, to the present time. The research also attempts to verify who were the main national and international actors, from the public and private sectors, that participated in the decisions on this public policy in question. For this purpose, the processes of decision making and implementation of the lines 1 -Blue, 3 -Red, 2 -Green and 4 -Yellow were analyzed. With the findings of the research it is possible to argue that the Metrô of São Paulo has undergone a downgrading of its technical staff and its state capabilities, characteristic of its constitution, that gave space to the interest of private actors inside the company, resulting in loss to the public company and in backlog of works. This process occurred with the rise and fall of a model of developmentalist State and the emergence of new visions of State influenced by New Public Management.
doi:10.11606/d.8.2017.tde-14062017-090352 fatcat:hcr6hfnd75cd3exzcodqcwbbkm