Proximidades entre o romance de 30 e a literatura juvenil contemporânea: uma análise de Lis no peito, de Jorge Miguel Marinho

Elizabeth da Penha Cardoso
2015 FronteiraZ  
Introdução É frequente o alijamento da literatura infantil e juvenil do amplo sistema literário. Como se essas manifestações artísticas e literárias não estivessem em diálogo com as demais obras, mas, sim, se realizassem em universo paralelo, apartado por uma redoma constituída ora por nebulosos critérios de qualidades, ora por insustentáveis recomendações etárias e, na maior parte das vezes, por preconceitos. No contexto da disciplina de Literatura Infantil e Juvenil, que ministro no Programa
more » ... nistro no Programa de Estudos Pósgraduados em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, e dos debates abrigados pelo Grupo de Pesquisa em Literatura Infantil e Juvenil da mesma instituição, venho questionando esse posicionamento. Este trabalho aponta as relações entre as principais tendências do romance de 30 ("regionalismo" e "intimismo") e a literatura juvenil contemporânea. Independentemente das discordâncias e das falsas questões que a dicotomia entre "social" e "psicológico" geraram, sabe-se da forte influência que as correntes regionalista e intimista exercem na prosa brasileira. Mas qual seria o diálogo estabelecido entre os autores de literatura juvenil e essas correntes literárias? Aqui será analisada, mais especificamente, a presença da prosa voltada à introspecção na atual produção para jovens. A análise textual destacará o romance Lis no peito, de Jorge Miguel Marinho (2005), não apenas pelo diálogo textual estabelecido com Clarice
doaj:890f07c57c0246b6b6abdb4250c746e3 fatcat:wts2yz6jgnfa3lqvkrrk5yvbdu