Final de jogo

Lúcia Castello Branco
1977 Revista Literária do Corpo Discente da Universidade Federal de Minas Gerais  
Caminhando pelas ruas, passos regula res de homem comedido, percorre cuidadoso a avenida central de tua cidade ou mesmo de teu pais. H"a arvores na tua avenida, dessas arvores estranguladas que 0 governo de teu pais plantou na primeira semana nacional de protecao as plantas e aos animais. Nao te comoves com 0 verde, cansado que andas destas tuas tendsnclas buc6licas. Segues a teu caminho, passos firmes de hornern decidido. Buzinas e freiadas e gritos de amanhecer nao te perturbarn. «E assim
more » ... rbarn. «E assim mesma quando se alcanca 0 equilibrio», pensas satisfeito de tua situacao confortavel . o predlo de vinte andares e filas de elevador te reserva sorrisos de sempre bans dias e correspondenclas antigas par receber. E sobes pelas escadas, caso te queiras dedicar a urn pouco de ginastica matinal. Numa coisa tens mais sorte que 0 teu vizinho que, de muletas, nao pode escolher entre a escada e o elevador. Sorris satisfeito num egoismo natural que te fizeram crer humane e relembras maquinalmente a oracao de Sao Francisco de Assis. No escrit6rio, olharas malicloso a secretarla franzina que te parece hoje mais bonita. Ouves alguma coisa como «sim senhor», murrnuras alguma outra coisa como «obrigado», e caminhas ja apressado pra tua sala vazia. Teus passos entao urn pouco irri- 21
doi:10.17851/0103-5878.12.12.21-24 fatcat:rgc7pvdewvesdcgwdijfb2f2ei