Modernização e mobilidade do trabalho: migrantes qualificados como tecnocratas do Estado em Porto Velho, Rondônia (1990 a 2012) [thesis]

Luciana de Jesus Sá Teles
A José (em memória) Florinda e Ítalo Migrantes E meus amores número um 5 Agradecimentos Nós estamos sempre percorrendo caminhos e sempre tem muita gente passando por ele também, no meu, tive a sorte de encontrar muitos acompanhantes que deram incentivo pra poder chegar neste novo começo, pois a Terra é "redonda"! Primeiro agradeço a pessoa que foi quem me possibilitou estar aqui hoje, minha mãe, Florinda, por ter me acolhido de volta a São Paulo em 2010, de mala, cuia e filho e ter tido
more » ... e ter tido paciência de me aguentar em sua casa por mais de dois anos, dividindo minhas inseguranças e sempre me apoiando e me ajudando em tudo o que podia. Eu sei que não é por ser mãe que você teria qualquer obrigação, assim fico mais feliz ainda pois sei que age assim por ser uma mulher muito porreta e por ter um coração onde cabem todos os sonhos. Desde que comecei a sonhar você sempre acreditou que o próprio sonho já era uma realidade, por isso você é minha migrante mulher favorita! Margarida Maria de Andrade, Professora Margarida querida, mais uma pessoa que tive a sorte de encontrar, e que em todos os momentos dessa minha história de mestrado foi acolhedora, generosa, absolutamente disponível pra conversar sobre a pesquisa, me ajudando e construindo comigo um pensamento, assumidamente cheio de indagações e as vezes inseguranças e incertezas, mas com uma tranquilidade de saber que estamos em processo de construção e que cada fase é uma fase. Agradeço pelas leituras que fez desde meu projeto, pela participação na banca de qualificação, e na orientação quase semanal, durante os momentos que pudemos nos encontrar com frequência. Lembro também a adorável companhia nos nossos percursos de metro para o CEM, nos encontros no Grupo de Estudos de Lefebvre, e por todos os papos "extras", sobre as coisas da vida, que sempre tiveram espaço e me faziam muito bem. Aproveito pra agradecer também a querida Fabiana Valdosky, amiga desde a graduação e que foi a primeira com quem conversei sobre a possibilidade de prestar o mestrado, seu incentivo foi o que me encorajou a "arriscar". E também a Lucianinha (Luciana Borges), que é uma inspiração! Quero lembrar a importância de ter participado do Grupo de Estudos da obra de Henri Lefebvre com a Prof. Margarida e com os colegas, Rafael Pádua, Aluísio, Pedro, e no Grupo de Estudos Migratórios do CEM-USP com Dirceu Cutti, Berenice, Ana, Dulce e a Professora Lea Francesconi, pelas trocas nos grupos, onde aprendi muito e onde pretendo continuar. Agradeço especialmente a Lea pela ajuda no processo de ingresso no mestrado. Na participação do Grupo de Estudos Crítica Radical o "grupo de sexta", coordenado pelo Professor Dieter, conheci a turma grande, jovem, animada e altamente questionadora. Com vocês passei horas de leituras e outras de conversas, me esforçando pra chegar na maneira (pra mim nova) de lidar com nossos objetos de estudo. Como água mole em pedra dura... acredito que tenha sido fisgada pelo pensamento da crítica radical. Valeu a convivência com vocês Carol, Fábio, Cássio, Erick, Teresa, Daniel, Renatinha, obrigada a todos e a todas e ao Carlão (Prof. Carlos Almeida Toledo), que além dos encontros no grupo também me ajudou desde o projeto de mestrado, participou da minha qualificação, contribuindo com várias ideias e opiniões, além de ter me ajudado durante o processo de escrita da dissertação o que foi um incentivo essencial, diminuindo no diálogo muitas das minhas aflições e dúvidas. Ao povo de Rondônia, tenho muita gente pra agradecer, primeiramente os migrantes que entrevistei para o trabalho de pesquisa, todos muito receptivos e disponíveis para contribuir, 6 obrigada pela confiança em me fornecerem as informações necessárias para este trabalho da forma mais sincera, sem vocês ele não seria possível. Agradeço também aos órgãos que eu mantive contato e aos funcionários que se esforçaram em ajudar até onde conseguiram, mesmo não tendo sucesso em todas as informações que pensei que acessaria, agradeço pela intenção. Às minhas queridas amigas Marcela e Franciane (Aninha) que nos dois trabalhos de campo me acolheram em suas casas, e não deixaram faltar o açaí e o peixe pra minha felicidade. Agradeço também as suas famílias sempre tão acolhedoras e divertidas, e pelos papos nas noites quentes de Porto Velho. Ainda em Porto Velho, agradeço a todos os colegas de trabalho, chefias, companheiros do Comitê de combate ao Fogo, do Programa Pré-Seca, do Sipam Cidade. E aos amigos, que fiz por lá durante o período de residência, muitos que hoje já estão em outros estados e até outros países. A convivência com vocês foi sempre muito importante para mim, como profissional, e ainda hoje é como pesquisadora e como pessoa, foram muitos aprendizados que sempre levarei comigo. Agradeço a Ana, Taise, Thiago, Ernesto, Leda, Juliana, Neumar e todos os demais! Aos meus irmãos Ri e Dario e irmãs queridas Zeza e Mel, meus cunhados e cunhadas, sobrinhos e sobrinhas, um agradecimento especial, pois com eles sei que posso contar a toda hora e comemorar todas as alegrias! E as minhas queridas amigas Surya, Marlete e tantas outras mulheres que acompanharam minhas crises e alegrias nesse período de descobertas e aprendizados, sempre ajudando a fazer limonadas com os limões. Valeu meninas! Ao meu "sócio" Denis Rivas, que a sua maneira "Denis" de ser, sabe ser solícito nas horas certas. Aos meus amigos do peito, Nedir, Alex, Gustavo, Francisco, Danton com os quais os encontros são sempre muito bons, trazendo aquele sentimento de irmandade e alegria por passarem tantos anos e continuarmos firmes na amizade e nas lutas! Agradeço muito, ao Professor Dieter Heinz Heidemann, meu orientador, por esses anos de convivência, pela tranquilidade e confiança que sempre demonstrou por mim, pelo incentivo as minhas ideias, que as vezes nem eu mesma acreditava e ele sempre me ajudou, com toda paciência, a encontrar os ritmos, obrigada pela sua coragem de nos dar liberdade para pensar. Você é o meu imigrante número um! Tenho muito a agradecer ao Jaime Soares, por ter sido muito parceiro nesta fase (da vida e do mestrado), tanto nas amenidades do dia a dia, quanto nos pensamentos críticos, econômicos, políticos, passando pela música, pela culinária, pelos livros, pela dança, pelas brincadeiras e pelo vídeo-game do Ítalo... Sem você este período teria sido muito menos divertido. Obrigada querido por me lembrar todo dia que temos direito a alegria e a fruição e por nestes últimos dias, assumir o papel de revisor, motorista e anjo da guarda. Gratidão. Enfim, agradeço ao meu filho querido, Ítalo, por ser um adolescente tão compreensivo, tão companheiro e tão carinhoso. Obrigada por me dar toda essa tranquilidade, você é terapêutico pra minha vida. Palavras chave: Migração qualificada -Mobilidade do Trabalho -Rondônia -Burocracia -Classe Média -Região Amazônica -Crise -Modernização 9 Abstract TELES, Luciana de Jesus Sá. Modernization and labor mobility: Migrant qualified as technocrats of the state in Porto Velho, Rondônia. (1990 -2010). Dissertação de Mestrado.
doi:10.11606/d.8.2017.tde-12052017-094523 fatcat:mwdiqfr5mng5bdqbczkhyt7klm