Compartilhamento de risco na saúde suplementar brasileira

Daniel de Sousa Pinto, Mestrado Profissional em Gestão para Competitividade, Gestão da Saúde, Fundação Getulio Vargas, São Paulo, SP, Brasil
2020 Jornal Brasileiro de Economia da Saúde  
Local onde o estudo foi desenvolvido: Os participantes da pesquisa foram selecionados de acordo com sua inserção na saúde suplementar e por seu poder decisório sobre o tema estudado. Por esse motivo, o cenário de estudo considerado foi o Brasil, pois os participantes são de distintas regiões brasileiras. Fontes de financiamento: O estudo foi financiado em sua integralidade pelo autor, sem nenhum incentivo público ou privado para a sua produção. Potenciais conflitos de interesses: O presente
more » ... go é fruto de dissertação de mestrado defendida na Fundação Getulio Vargas. Ela não possui conflito de interesses, pois o autor não tem inserção profissional, política ou pessoal com o cenário da pesquisa ou com os participantes da pesquisa. Portanto, sem nenhum conflito de interesse. Autor correspondente: Daniel de Sousa RESUMO Objetivos: Este trabalho discute os recentes impactos do avanço tecnológico no mercado da saúde e a crescente importância do aumento de custos em toda a sua cadeia e investiga uma alternativa para aumentar o acesso a essas novas tecnologias por um maior número de pessoas na saúde suplementar. Nesse contexto, o objetivo geral proposto para este trabalho foi evidenciar as visões de gestores de saúde com papel de destaque no Brasil a respeito do uso de modelos de compartilhamento de risco (risk sharing) em diferentes geografias e em diferentes financiadores no sistema. Pretendeu-se aprofundar o tema com o cumprimento dos seguintes objetivos específicos, também sob a perspectiva dos participantes da pesquisa: verificar a utilização desses modelos de pagamento e, consequentemente, determinar as características e adaptações necessárias a eles; identificar os desafios para a consolidação do risk sharing na saúde suplementar; verificar o impacto do risk sharing nos custos com saúde das operadoras a partir da percepção dos entrevistados. Métodos: Trata-se de estudo qualitativo, com entrevistas em profundidade com os principais gestores e formadores de opinião em saúde de diferentes instituições no Brasil, totalizando 25 entrevistas. A análise de conteúdo foi escolhida como método de interpretação e construção das categorias para a análise. Resultados: Os resultados foram agrupados nas seguintes categorias: as sugestões e adaptações sugeridas para o melhor funcionamento na realidade brasileira; as críticas e desafios aos modelos propostos. Os resultados sugerem que o compartilhamento de risco pode ser uma alternativa capaz de promover uma nova forma de relacionamento entre os pagadores e a indústria fabricante, substituindo o tradicional modelo de remuneração, que limita a relação linear com todos os setores, buscando sempre o objetivo de atender o paciente com novas alternativas de acesso. Conclusões: Em meio à complexidade do sistema de saúde brasileiro, é importante que os players avaliem novas alternativas de remuneração e incorporação tecnológica. Os desafios são inúmeros, desde a efetivação do perfil dos pacientes elegíveis até a aplicabilidade do risk sharing que ocorre a partir do interesse de ambas as partes em trazer novas tecnologias ao sistema, sem impactos orçamentários significativos, desde que seja viável clínica e economicamente, gerando valor em saúde, na efetividade e nos resultados de desfecho em taxa de sobrevida real. ABSTRACT Objectives: This paper discusses the recent impacts of technological advancement on the health market, the growing importance of increasing costs throughout its chain, and investigates an alternative to increasing the access of these new technologies to a greater number of people within supplementary health. In this context, the general objective proposed for this work was to highlight the views of health managers with a prominent role in Brazil regarding the use of risk-sharing models in different regions and in different payers in the system. It was intended to deepen the theme with the fulfillment of the following specific objectives, also from the perspective of the research Compartilhamento de risco na saúde suplementar brasileira Risk sharing in Brazilian supplementary health 165 J Bras Econ Saúde 2020;12(2):164-9
doi:10.21115/jbes.v12.n2.p164-9 fatcat:wa4ac4eytngfbnowu3mnntdnbe