Ambroise Paré, o cirurgião que não sabia latim [chapter]

Joffre Marcondes de Rezende
2009 À sombra do Plátano: crônicas de história da medicina  
SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros REZENDE, JM. À sombra do plátano: crônicas de história da medicina [online]. São Paulo: Editora Unifesp, 2009. Ambroise Paré, o cirurgião que não sabia latim. pp. 245-249. ISBN 978-85-61673-63-5. Available from SciELO Books . All the contents of this work, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-Non Commercial-ShareAlike 3.0 Unported. Todo o conteúdo deste trabalho, exceto quando houver ressalva, é publicado sob
more » ... a licença Creative Commons Atribuição -Uso Não Comercial -Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não adaptada. Todo el contenido de esta obra, excepto donde se indique lo contrario, está bajo licencia de la licencia Creative Commons Reconocimento-NoComercial-CompartirIgual 3.0 Unported. 27 -Ambroise Paré, o cirurgião que não sabia latim Joffre Marcondes de Rezende -245 -27 Ambroise Paré, o Cirurgião que Não Sabia Latim A profissão médica no século xvi compreendia três classes: em primeiro lugar situavam-se os médicos, que possuíam maiores conhecimentos teóricos, usavam o latim em seus escritos e consideravam-se a elite da profissão. Vinham a seguir os cirurgiões, que tratavam feridas e traumatismos externos, faziam amputações, praticavam a talha para tratamento da litíase vesical, lancetavam abscessos e usavam o cautério. Por último estavam os cirurgiões-barbeiros, que faziam sangrias, aplicavam sanguessugas e ventosas, barbeavam seus fregueses e, por vezes, concorriam com os cirurgiões abrindo abscessos e fazendo curativos. Ambroise Paré viveu de 1510 a 1590. não era médico e iniciou sua carreira como aprendiz de cirurgião-barbeiro na cidade de Laval, no interior da França. Ainda jovem transferiu-se para Paris e, aos dezenove anos, conseguiu o que mais desejava -trabalhar no Hôtel-Dieu, o mais antigo hospital de Paris. Ali praticou durante quatro anos como auxiliar de cirurgia, observando e participando do tratamento de feridos. Demonstrou, desde o início, sua habilidade cirúrgica e interesse em aprender. Capacitou-se de tal maneira na prática da cirurgia Ambroise Paré .
doi:10.7476/9788561673635.0028 fatcat:vejctf3kpzgbnfz3vhicw2bqsi