Theodor W. Adorno: imagens do feminino nas Minima Moralia

Franciele Bete Petry
2014 Ethic@: an International Journal for Moral Philosophy  
RESUMO O texto pretende explorar a temática das imagens do feminino nas Minima Moralia: reflexões a partir da vida danificada de Theodor W. Adorno. Nesta obra, está presente uma crítica à forma como a racionalidade instrumental desenvolveu-se na sociedade, tendo como consequência a danificação da subjetividade. Também a esfera particular da vida foi afetada, sendo marcada pela violência, dominação e falsidade. Nesse sentido, a crítica feita por Adorno mostra-se instigante para se pensar as
more » ... ns associadas às mulheres na sociedade, à identidade e subjetividade femininas, construídas dentro de uma sociedade patriarcal. Contudo, a reflexão adorniana não pode ser reduzida a uma questão de gênero, pois a violência não é marca exclusiva da repressão feminina, antes, uma qualidade inerente à sociedade capitalista dentro da qual a emancipação, seja ela feminina ou não, encontra obstáculos para sua realização. Palavras-chave: Adorno. Racionalidade instrumental. Feminino. Crítica dialética. ABSTRACT The paper aims at discussing the theme of the feminine images in Theodor W. Adorno's work Minima Moralia: reflections on a damaged life. In this text, there is a criticism to the way in which instrumental rationality has developed into capitalist society, having as consequence the lost of subjectivity. Even private life was influenced by violence, domination, repression and falsity. In this sense, Adorno's critique can be interesting for the reflection on the images socially related to women, and on feminine identity and subjectivity, which are built into a patriarchal society. However, Adorno's position is not to be reduced to a reflection on gender, because violence is not only related to feminine repression, but it is an inherent characteristic of capitalist society, where the possibility of emancipation, feminine or not, cannot be easily achieved. A crítica de Theodor W. Adorno, desenvolvida na obra Minima Moralia: reflexões a partir da vida danificada, é uma denúncia severa de como os mecanismos de dominação se estendem para aspectos da vida muitas vezes julgados como invioláveis. São aquelas esferas que pareceriam ainda estar isoladas de interesse e falsidade, mas que sob uma reflexão mais profunda, se revelam instâncias de dominação e opressão mascaradas. A obra, escrita entre os anos de 1944 e 1947 sob a forma de aforismos, que embora geralmente curtos são suficientemente tensos para provocar uma reflexão dolorosa, se dirige, como o próprio título Recebido /
doi:10.5007/1677-2954.2014v13n2p339 fatcat:khhdkiwcw5bx5oqtv24rc4mqre