Editorial

Equipe Editorial
2021 Multitemas  
Em todos os sentidos, é gratificante constatar que, durante a pandemia do vírus Sars-CoV-2, causador da COVID-19, muitíssimos pesquisadores continuaram trabalhando em suas respectivas áreas de conhecimento, a exemplo dos relatos de pesquisa aqui apresentados. De outra parte, número considerável de investigadores procurava entender os mais distintos aspectos da pandemia, notadamente do ponto de vista social, psicológico, econômico e familiar. A imprensa durante a dita pandemia também tem se
more » ... presente, noticiando fatos, apresentando versões e, não raras vezes, interpretando esses mesmos fatos. As inúmeras possibilidades das chamadas redes sociais vêm igualmente exercendo relevante papel, não obstante, em muitos casos, prestarem-se à distorção da verdade ou, inadvertidamente, a divulgar coisas inverídicas. A pandemia da COVID-19, particularmente no Brasil, tem servido como mote político em inúmeras ocasiões, com acusações e confrontos nada construtivos, em nítido conflito de interesses pessoais e ideologias espúrias. Nesse contexto, até mesmo a ciência foi tratada como certeza absoluta, o que retrata a ignorância dos que assim a concebem, visto que ela, desde suas primeiras assertivas ao longo da história, deve ser concebida como uma hipótese a ser permanentemente testada e questionada, com base no chamado espírito científico, em que a certeza é um advir. Sobre isso, René Descartes (apud FLORIDO, 1999a) aconselhava que se deveria sempre duvidar do conhecimento, para desencadear novos procedimentos de pesquisa. Isso ficou conhecido como "dúvida metódica". O avanço da ciência e da técnica tem demonstrado isso num verdadeiro trabalho revisional do conhecimento, o que permite afirmar que muito do que se defende na atualidade é, ainda, uma quimera. Isso faz lembrar as variações e mutações que a COVID-19 vem sofrendo. Os artigos aqui publicados, enquanto relatórios de pesquisa, sobre temas muito relevantes e atuais, são provas incontestes desta óbvia e necessária jornada da ciência, que se faz cada vez mais verdadeira, sem, no
doi:10.20435/multi.v26i62.3445 fatcat:tw3m67kpcfao7e7j42rfgioke4