Etiopatogenia da febre reumática

Acir Rachid
2003 Revista Brasileira de Reumatologia  
Etiopathogenesis of the rheumatic fever Acir Rachid (1) RESUMO O autor afirma que, embora haja plena aceitação da responsabilidade do estreptococo beta hemolítico na etiologia da febre reumática (FR), persistem dúvidas se há concomitante uma afecção viral. Revisa as estruturas do estreptococo e chama atenção para o fato de que cada surto da doença é produzido por um sorotipo diferente do estreptococo. Resume os mecanismos patogênicos em três modos diferentes: a) ação lenta das bactérias; b)
more » ... s bactérias; b) ação tóxica dos produtos, como a exotoxina; c) fenômenos de hipersensibilidade. Enfatiza a descoberta do antígeno de células B denominado D8/17. Palavras -chave: febre reumática (FR), estreptococo beta hemolítico, antiestreptolisina O, proteína M, HLA-DR7, D/8 17, cardite reumática, coréia reumática. ABSTRACT Although there is a consensus about the responsibility of betahemolytic streptococcus in the rheumatic fever (RF) etiology, in this article the author claims that persist doubts about a possible concomitant viral condition. This paper also reviews the streptococcus structures and stresses the fact that each outbreak of the disease is produced by a different streptococcus serotype. Concerning the pathogenesis, the author discusses three different mechanisms: a) slow bacterial action, b) the action produced by toxins and c) hypersensitivity reactions. Finally, the author also emphasizes the recent discovery of a B cell antigen called D 8/17.
doi:10.1590/s0482-50042003000400005 fatcat:gl2hrmgckzf55fl42risu25eom