TERAPIA OCUPACIONAL E O TRATAMENTO DE BEBÊS EM INTERVENÇÃO PRECOCE A PARTIR DE UMA HIPÓTESE DE FUNCIONAMENTO PSICOMOTOR: ESTUDO DE CASO ÚNICO

Dani Laura Peruzzolo, Deise Maria Barbosa, Ana Paula Ramos de Souza
2018 Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional  
Resumo: Introdução: Atuais pesquisas sobre intervenção precoce (IP) em bebês com risco ao desenvolvimento -entre os quais, o prematuro -convidam terapeutas à construção de novos tratamentos clínicos. Objetivo: Analisar a eficácia de uma Hipótese de Funcionamento Psicomotor (HFP) para tratamento de bebê prematuro. Método: Tem cunho qualitativo, longitudinal, clínico quase experimental, de estudo de caso único. Amostra deu-se por conveniência, sendo um bebê prematuro, com risco psíquico e de
more » ... psíquico e de desenvolvimento, identificado pelos protocolos PREAUT e IRDIS. Foi tratado durante três meses em IP por terapeuta ocupacional, a partir de HFP. O tratamento foi filmado e registrado em diário de campo. Posteriormente analisado através da comparação entre objetivos propostos e resultados alcançados, destacando os efeitos da HFP. Resultados: O caso confirma que a irregularidade psicomotora pode ser compreendida como sintoma psicomotor e sua origem pode ser interpretada a partir de uma HFP. Considera a irregularidade de forma singular, como anúncio de como a criança constrói seu Esquema (EC) e Imagem Corporal (IC), a partir do laço com seus pais. Confirmou-se a eficácia do tratamento a partir de uma HFP, pois o sintoma psicomotor desapareceu (EC), dando espaço para aquisições psicomotoras e cognitivas, e para a ressignificação dos investimentos da mãe em seu bebê (IC). O EC é tomado como funcionamento motor e cognitivo, que anuncia o funcionamento psíquico relacionado a IC em elaboração. Conclusão: A HFP interpreta o processo psicomotor do bebê supondo como está se constituindo, de modo a permitir uma IP que possa transformar o sintoma psicomotor em gesto estruturante. Abstract: Introduction: Ongoing studies about premature intervention (PI) on babies with developmental risk, like prematures, invite therapists to construct new clinical treatments. Objective: To analyze the effectiveness of a Hypothesis of Psychomotor Functioning (HPF) for treatment of the premature babies. Method: Qualitative, longitudinal, and clinical almost experimental single case study. We studied one premature baby, with developmental and psychic risk, identified by the PREAUT and IRDI protocols. The baby received three months of PI treatment by occupational therapy from the HPF. Treatment was filmed and registered in a field diary. We then compared the proposed objectives and the collected results, outlining the effects of the HPF. Results: The case confirms that the psychomotor irregularity may be understood as a psychomotor symptom and its source construed as from a HPF. The irregularity is considered in a singular way, as observation of how the child constructs its Body Scheme (BS) and Body Image (BI), starting from the bonds with parents. The treatment effectiveness was confirmed from a HPF, as the psychomotor symptom went away (BS), giving place for cognitive and psychomotor acquisitions, and to Terapia Ocupacional e o tratamento de bebês em intervenção precoce a partir de uma Hipótese de Funcionamento Psicomotor: estudo de caso único the maternal resignification of the investments in her baby (BI). The BS is taken as a cognitive and motor psychic functioning related to the BI in construction. Conclusion: The HPF interprets the baby psychomotor process based on its construction, allowing a PI that can transform a psychomotor symptom into a structuring motion.
doi:10.4322/2526-8910.ctoao1155 fatcat:vfpzims56jaj3cu7sjlwii7pzq