UM SINAL AINDA QUE NO VAZIO: A SUBJETIVIDADE E O MÍNIMO QUE É MAIS EM VERÃO EM BOTAFOGO, DE THIAGO CAMELO

Larissa Andrioli
2012 unpublished
Resumo: O presente artigo se propõe a apontar inicialmente os traços de uma nova subjetividade masculina na contemporaneidade. Primeiramente, expomos algumas reflexões e suposições acerca do estado da literatura atual, para, então, nos dedicarmos à leitura de uma obra específica, Verão em Botafogo, de Thiago Camelo. Esse artigo é um esboço inicial de um estudo maior e mais complexo sobre as mudanças na expressão masculina que afloraram na contemporaneidade. Palavras-chave: Subjetividade;
more » ... bjetividade; Delicadeza; Thiago Camelo; Verão em Botafogo. É, pode ser que a maré não vire Pode ser do vento vir contra o cais E se já não sinto os teus sinais Pode ser da vida acostumar Será, morena? (Los Hermanos-"Dois Barcos") Uma característica que salta aos olhos de quem lê e estuda literatura contemporânea é a multiplicidade da produção atual. Seja na poesia, seja na prosa, o que vemos hoje é uma diversidade significativa de linhas criativas na literatura brasileira. Essa questão é apontada em diversos estudos sobre a escrita 1 Aluna do 7º período de Letras e bolsista de Iniciação Científica no projeto Prática política e poética-lugares da crítica hoje: permanência e superação do olhar modernista, sob orientação da Profª. Drª.
fatcat:mctt76j6lnh63gw5g6qmsvepcm