Repercussão do trabalho infantil urbano na saúde de crianças e adolescentes

Ana Claudia Martins, Débora Pastore Bassitt, Kátia da Silva Wanderley, Mayra dos Santos Silva
2013 Revista Brasileira em Promoção da Saúde  
Impact of urban child labor in the health of children and adolescents Repercusión del trabajo infantil urbano en la salud de niños y adolescentes RESUMO Objetivo: Analisar a saúde de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil urbano. Métodos: Participaram do estudo 32 crianças e adolescentes de 6 a 14 anos de idade inscritos no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) de três diferentes regiões da cidade de São Paulo. Os participantes foram avaliados individualmente,
more » ... individualmente, através de uma anamnese ocupacional, sistematizada por ficha de avaliação, para coleta de dados referentes à atividade laboral e foi aplicada a Escala de Estresse Infantil (EEI). A análise estatística dos dados foi realizada com os softwares EVOC 2000 e SPSS. Resultados: Verificou-se que a reciclagem foi a ocupação predominante, totalizando 59,38% (19) da amostra, e o método coletivo teve predominância em relação ao individual. Mais de 90% (29) dos participantes utilizavam equipamentos de proteção na atividade laboral e 71,88% (23) deles não sentem falta da ocupação exercida. Entre os participantes que apresentaram sinais significativos de estresse, a maioria trabalha ou trabalhava com reciclagem e ainda exerce a atividade laboral. Quando analisada a Escala de Estresse Infantil, observou-se que há mais sinais de estresse em trabalhadores infantis quando comparados aos ex-trabalhadores e existe correlação significativa entre trabalho e estresse (p=0,008). Conclusões: Observou-se que a atividade laboral na infância pode causar transtornos de natureza psicofisiológica e, apesar de a amostra ter sido pequena, foram apontadas questões deletérias dessa atividade para crianças e adolescentes. Foi evidenciado ainda que, embora um grande percentual seja incluído no programa, eles permanecem exercendo a atividade laboral. Descritores: Trabalho de Menores; Saúde do Trabalhador; Políticas Públicas. ABSTRACT Objective: To analyze the health of children and adolescents who are under working conditions in São Paulo. Methods: The study considered 32 children and adolescents, aged between 6 and 14, enrolled on the Child Labor Eradication Program (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil -PETI, Brazil) from three different regions of the city of São Paulo. The participants were individually assessed through an occupational anamnesis, systematized by an evaluation form, to collect data on labor activity and Lipp & Lucarelli's Child Stress Scale was applied. Data statistical analysis was performed with softwares EVOC 2000 and SPSS. Results: It was found that recycling was the predominant occupation, totalizing 59.3% of the sample, and the collective method was more prevalent in relation to the individual one. Over 90% of participants used protective equipment in working activity and 72% do not miss the occupation they once had. Of the participants presenting significant signs of stress, 75% work or used to work with recycling activities and 87.5% are still engaged on the activity. When analyzing the Child Stress Scale, it was noted that there are more stress signs in child workers (46.7%) in comparison to the former workers (5.9%) and significant difference between work and stress (p-value 0.008). Conclusions: It was noted that the labor activity in childhood may cause perturbation of psychophysiological nature and, in spite of the relatively small sample size, deleterious aspects of this activity for children and adolescents were pointed out. It was also evidenced that, despite a high percentage of this group becomes enrolled on the program, they still keep their occupation.
doi:10.5020/18061230.2013.p9 fatcat:jquhenl42bcxpkgtnlkmryboee