Profissionais de saúde da unidade de terapia intensiva: percepção dos fatores restritivos da atuação multiprofissional

João Dutra de Araujo Neto, Isabella Suanne Pereira da Silva, Loise Elena Zanin, Abigail de Paulo Andrade
2016 Revista Brasileira em Promoção da Saúde  
RESUMO Objetivo: Identificar a percepção dos profissionais de saúde de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) sobre os fatores restritivos do trabalho em equipe multiprofissional. Métodos: Estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa, que ocorreu em um hospital terciário de alta complexidade, localizado em Sobral/CE. Participaram nove entrevistados representantes da equipe multiprofissional da UTI. Os dados foram coletados por entrevista semiestruturada e analisados segundo a
more » ... ados segundo a Análise de Conteúdo. Assim, as interlocuções com os profissionais foram apreendidas em quatro categorias: desrespeito entre os profissionais da equipe, excesso de demanda, falta de comunicação entre seus integrantes e falta de capacitação profissional. Resultados: O fator mais restritivo do trabalho em equipe multiprofissional na UTI foi a falta de respeito entre os integrantes da equipe, resultado das relações de hierarquia de poder, da falta de conhecimento do fazer de cada profissional, bem como da falta de comunicação dentro da equipe, evidenciando a necessidade de estratégias que potencializem a comunicação e o respeito entre os integrantes. Além disso, o excesso de demanda, somando-se a um ambiente estressante como a UTI e à falta de capacitação da equipe foram destacados nas falas como fatores considerados restritivos ao processo. Conclusão: Foi possível levantar os fatores restritivos do trabalho em equipe multiprofissional no cenário da UTI, o que pode colaborar para a construção e o fortalecimento das ações para superar esses desafios. Ratifica-se a importância da compreensão de que as ações a serem desenvolvidas são da equipe multidisciplinar como um todo, e não de um indivíduo apenas. ABSTRACT Objective: To identify the perception of health professionals of an Intensive Care Unit (ICU) regarding the restrictive factors of the work in a multiprofessional team. Methods: Qualitative descriptive exploratory study conducted in a tertiary referral hospital located in Sobral, Ceará. Participants were nine representatives of the ICU multiprofessional team. Data were collected using semi-structured interviews and underwent Content Analysis. Thus, dialogues with professionals were divided into four categories: disrespect between team professionals, excessive demand, lack of communication between members and lack of professional training. Results: The most restrictive factor of the work of the multiprofessional team in the ICU was the lack of respect between team members, which results from the hierarchy of power relationships, the lack of knowledge of each professional's work as well as the lack of communication within the team, highlighting the need for strategies to enhance communication and respect between members. In addition, the excessive demand coupled with a stressful environment such as the ICU and the lack of professional training were highlighted in the speeches as factors considered restrictive to the process. Conclusion: It was possible to identify the restrictive factors of the work in a multiprofessional team
doi:10.5020/18061230.2016.p43 fatcat:suloj2ozwjfrphvgbn34pnzz7a