Degradabilidade in situ da matéria seca e fração fibrosa do estilosantes Campo Grande

R.T. Magalhães, D.S Corrêa
2012 Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia  
Avaliou-se, pela técnica in situ, a degradabilidade da matéria seca e da fração fibrosa da leguminosa estilosantes Campo Grande (Stylosanthes spp.). A cultivar Campo Grande é composta por uma mistura física de sementes das variedades S. capitata e S. macrocephala. Para o ensaio da degradabilidade, usou-se o método dos sacos de náilon, com duas incubações em um bovino adulto canulado no rúmen. O experimento foi realizado segundo o delineamento de blocos ao acaso, e os dados submetidos à análise
more » ... bmetidos à análise de variância. A máxima degradabilidade efetiva foi atingida na taxa de passagem de 2%. Para a taxa de passagem de 5%, a degradabilidade efetiva foi de 68,4% para a matéria seca, 51,9% para a fibra em detergente neutro e 58,9% para a fibra em detergente ácido. Os resultados mostram que a cultivar analisada possui digestibilidade compatível com outras leguminosas tropicais atualmente utilizadas pelos produtores rurais, apresentando como vantagem o fato de ser nativa do bioma cerrado.
doi:10.1590/s0102-09352012000300023 fatcat:xpf6p6fggrhizmtf5hmyltpahe