GEOCRONOLOGIA DA GRANITOGÊNESE DA PROVÍNCIA AMAZÔNIA CENTRAL BRASILEIRA: UMA REVISÃO

MOACIR JOSÉ BUENANO MACAMBIRA, JEAN-MICHEL LAFON, ROBERTO DALL'AGNOL, HILTON COSTI, XAFI DA SILVA JORGE JOÃO
1990 Revista Brasileira de Geociências  
GEOCRONOLOGY OF GRANITIC ROCKS FROM BRAZILIAN CENTRAL AMAZONIAN PROVINCE: A REVIEW. A review of the Rb-Sr data of granitic rocks from the brazilian Central Amazonian Province is presented. Three major periods of magmatic activity were defined, ranging from Archaean to Proterpzoic times: 1. Archaean granitoids (> 2.500 Ma) of tonalitic, trondhjemitic and granodipritic compositions, generally metamorphosed and associated to granite-greenstone sequences; 2. Granitoids of Transamazonian age (c.a.
more » ... azonian age (c.a. 2.000 Ma) possibly related to the Transamazonian event; and 3. Middle Proterozoic anorogenic granitoids (1.600 Ma -1.750 Ma). Archaean and Transamazonian granitoids show isotopic characteristics of the mantle or of a low time crusted residence material. The initial strontium ratios of the Middle Proterozoic anorogenic granitoids are higher man the typical mantle ones and range from 0,7068 to more than 0,715. Detailed Rb-Sr isotopic studies for the latter rocks show in a same body an increase of the initial isotopic ratios and a decrease of the corresponding age from the less to the more evolved fades. Comparison with recent U-Pb zircon ages from the same or similar bodies led us to think mat the observed spreading and lower values of the Rb-Sr age of these granitoids could be explained by effect of late magmatic alteration processes, differences in the magmatic source or by crustal contamination phenomena during the crystallization. RESUMO Neste trabalho, apresenta-se uma revisão dos dados Rb-Sr disponíveis sobre os granitóides da Província Amazônia Central. Tenta-se levantar critérios de correlação e controle da granitogênese da Província Amazônia Central no tempo geológico a fim de melhor entender os processos de formação e a evolução dos granitóides dessa região. Foram distinguidos três grandes grupos de granitóides, distribuídos do Arqueano ao Proterozóico Médio: 1. granitóides arqueanos (> 2.500 Ma) de composições tonalfticas, trondhjemíticas e granodioríticas, em geral metamorfisados e aparentemente associados aos terrenos do tipo granito greenstone belt; 2. granitóides de idade transamazônica (cerca de 2.000 Ma), cujos dados químicos sugerem, provavelmente, um reflexo no cráton arqueano, do Ciclo Transamazônico; 3. granitóides anorogênicos do Proterozóico Médio (1.600 Ma -1.750 Ma), comparativamente mais abundantes e melhor estudados, são divididos em 2 grupos: 3.1. grani tos similares ao tipo A e 3.2. granitos e com magnetita, análogos ao tipo I Caledoniano. Os granitóides arqueanos e os de idade transamazônica mostram razões isotópicas iniciais 87 Sr/ 86 Sr, características do manto ou de material de curta residência crustal, enquanto os granitóides do Proterozóico Médio apresentam razões tipicamente crustais. Estudos isotópicos detalhados em corpos individualizados mostram uma redução no valor da idade e um aumento da razão inicial no sentido das fácies mais evoluídas. A comparação dos dados Rb-Sr com aqueles obtidos pelo método U-Pb em.zircões leva a pensar que as variações e os mais baixos valores observados para as idades Rb-Sr não são sempre ligados diretamente a idade verdadeira de cristalização, e sim relacionados à maior sensibilidade do método Rb-Sr às transformações tardi e pós-magmáticas, às diferenças nas fontes magmáticas e/ou a fenômenos de contaminação crustal.
doi:10.25249/0375-7536.1990258266 fatcat:uzdxyvnhhrbitptdma62fld2gi