Racekiela cavernicola (Porifera: Demospongiae) new species and the first record of cave freshwater sponge from Brazil

Cecília Volkmer-Ribeiro, Maria Elina Bichuette, Vanessa Machado
2010 Neotropical Biology and Conservation  
Racekiela cavernicola n. sp., fi rst species of Neotropical freshwater sponge found in cave habitat was discovered in the Lapa dos Brejões, a large cave system (coordinates 11 o 00'42,7"S; 41 o 25'59,6"W) on karstic terrains at the northern part of the Chapada Diamantina, State of Bahia, northeast Brazil. The description of the new species is provided altogether with "in situ" photographs of specimens and gemmules, SEM photographs of the spicules and the gemmular structure. Two distinct classes
more » ... wo distinct classes of gemmoscleres differing in size and shape are present. This is the second species of genus Racekiela Bass and Volkmer-Ribeiro,1998 registered for the Neotropical Region. The fi rst one, R. sheilae (Volkmer-Ribeiro, De Rosa- Barbosa and Tavares, 1988) is known up to now only from coastal wetland areas in Brazil. Extensive surveys in the open tracts of river Jacaré are required before the new species may be considered a troglobitic species. However, this species has high potential to be included in this category, once the epigean reach of the Jacaré River is not perennial. Resumo Racekiela cavernicola n. sp., primeiro registro de esponja de água doce em cavernas na Região Neotropical, foi descoberta na Lapa dos Brejões, um extenso sistema de cavernas (coordenadas 11 o 00'42,7"S; 41 o 25'59,6"W) situado em terrenos cársticos na parte setentrional da Chapada Diamantina, Estado da Bahia, região Nordeste do Brasil. A descrição da nova espécie é apresentada juntamente com fotos "in situ" de exemplares e gêmulas, fotografi as ao MEV das espículas e estrutura das gêmulas. Duas classes distintas, em forma e tamanho, de gemoscleras estão presentes. Esta vem a ser a segunda espécie do gênero Racekiela Bass and Volkmer-Ribeiro,1998, com registro para a Região Neotropical. A primeira, R. sheilae (Volkmer-Ribeiro, De Rosa-Barbosa eTavares, 1988) é, até agora, conhecida somente de ambientes lênticos de pequenas dimensões em áreas úmidas costeiras do Brasil. Levantamentos mais abrangentes nos trechos epígeos do rio Jacaré são recomendados antes que a nova espécie possa ser considerada troglóbia (restrita ao ambiente subterrâneo); entretanto, cabe ressaltar que esse rio não é perene em sua porção epígea além de ser possível que a espécie pertença a esse status ecológico-evolutivo. Palavras-chave: esponjas continentais, cavernas, região neotropical, área preservada.
doi:10.4013/nbc.2010.51.08 fatcat:3vaakql7ync7hikssfzyc7wvzu