Condições ambientais domiciliares das Regiões Metropolitanas do Brasil nas últimas décadas

Glauco Umbelino, Diego R. Macedo
2006 Zenodo  
O presente artigo coloca em prática a interdisciplinaridade da Demografia, relacionando-a com diferentes áreas do conhecimento, principalmente com a Geografia. Tomando-se como base as nove Regiões Metropolitanas (RMs) originais do IBGE, foram feitas algumas considerações sobre meio ambiente e urbanização, seguida de uma interpretação e correlação destes temas com o acesso da população aos serviços urbanos básicos: água canalizada, rede de esgoto e coleta de lixo. Os dados utilizados foram
more » ... lizados foram obtidos a partir dos censos demográficos de 1991 e 2000. Por meio de tabulações dos dados censitários e posterior espacialização, foi possível efetivar um estudo temporal das principais mudanças ocorridas nesse período, indicando a qualidade do ambiente construído nas áreas metropolitanas, com um enfoque para os municípios mais carentes em infra-estrutura urbana básica. Os resultados indicam que no período analisado, houve o aumento do percentual de pessoas atendidas pelos três serviços urbanos em todas as RMs, sendo que nas periferias ocorreram as melhoras mais expressivas. Este trabalho mostra a discrepância social, econômica e ambiental existente entre as RMs meridionais do país e as demais, pois de uma maneira geral, quanto mais austral é a RM, melhor é o acesso a esses serviços. Outra tendência é que nas RMs analisadas percebe-se uma expansão populacional no sentido centroperiferia, sendo que esta periferia é preenchida por pequenos focos habitados por uma população diversificada (ricos e classe média) mas com alto padrão de vida, contracenando com a imensa população metropolitana residente em áreas com baixo padrão de vida.
doi:10.5281/zenodo.2576577 fatcat:tyjrnp2bfvdg3njhoq53l4srem