Uso de fitoterápicos como alternativa para a diminuição da sintomatologia recorrente na gravidez

Felipe Santos Rocha, Jordana Vitória Carvalho Santos, Rafaela Oliveira Resende, Tatiane Batista dos Santos, Enoque Chaves de Almeida Junior, Daniela Droppa Almeida, Deyse Mirelle Souza Santos, Fernanda Costa Martins Gallotti
2021 Research, Society and Development  
Os extratos naturais de plantas vêm sendo utilizados com finalidades farmacológicas há milhares de anos. Seu uso na medicina popular foi propagado de cultura para cultura e descrito nas diversas literaturas. Para tanto, buscou-se analisar os benefícios da utilização de fitoterápicos frente aos sinais e sintomas recorrentes do período gravídico. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, de cunho descritivo com abordagem qualitativa. Para o alcance dos resultados, foram analisados os
more » ... m analisados os resumos de 284 artigos disponíveis na íntegra, assim como, patentes obtidas a partir do cruzamento entre os descritores. Destes, 26 estudos foram selecionados por responderem a pergunta norteadora: "O uso de fitoterápicos pode auxiliar no controle de sinais e sintomas advindos da gravidez?", seguindo-se assim para a continuidade da pesquisa. Após leitura dos estudos, identificou-se que 29 espécies de plantas são utilizadas como fitoterápicos para o tratamento de sintomas recorrentes na gestação, destacando-se o gengibre, a camomila, a hortelã e o alho. Quanto à prospecção tecnológica, foram selecionadas seis patentes que, em sua discussão relataram o potencial farmacológico do gengibre, melancia, dentre outras, frente ao tratamento das sintomatologias comuns na gestação. Dessarte observa-se que apesar do crescimento progressivo da importância dos medicamentos fitoterápicos, poucos estudos foram realizados com o intuito de se comprovar a eficácia da sua utilização frente aos sintomas característicos do período gravídico, sendo que inúmeras plantas medicinais ainda são aplicadas a partir do conhecimento popular bem empregado, ressaltando assim a importância do tema abordado.
doi:10.33448/rsd-v10i3.13065 fatcat:yl3yifmdhjflrcra6oclt6qj4i