Impact of the Training of Professionals from São Paulo Public Health System in Phytotherapy Practice

Linete Maria Menzenga Haraguchi, Adriana Sañudo, Eliana Rodrigues, Herbert Cervigni, Elisaldo Luiz de Araujo Carlini
2020 Revista Brasileira de Educação Médica  
Resumo: Introdução: Após a aprovação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares e da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos em 2006, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo iniciou o curso "Plantas Medicinais" que posteriormente foi ampliado para curso "Plantas Medicinais e Fitoterapia", com o propósito de capacitar profissionais de saúde. Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto das edições de 2014 e 2015 do curso "Plantas
more » ... o curso "Plantas Medicinais e Fitoterapia" nas práticas profissionais. Métodos: Realizou-se estudo exploratório, descritivo, com abordagem quali-quantitativa. No processo quantitativo (fase I), enviou-se um questionário via e-mail para profissionais de saúde egressos do curso, divididos em sete categorias: biomédico, cirurgião-dentista, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, médico e nutricionista. Do total de 165 questionários, 114 foram respondidos (69,1%). No processo qualitativo e quantitativo (fase II), realizaram-se entrevistas semiestruturadas, presenciais e individuais visando obter informações detalhadas da prática fitoterápica. Entrevistaram-se 73 profissionais de saúde a fim de comparar as práticas deles antes e depois da capacitação. Resultados: O curso impactou positivamente a aceitação e a aplicação da fitoterapia pelos profissionais de saúde, com um aumento significativo (p < 0,001) na ampliação de atividades relacionadas à fitoterapia (rodas de "chás", "hortas medicinais" e capacitação). Houve ainda impacto na aplicação de produtos à base de plantas como Matricaria chamomilla (camomila), Maytenus ilicifolia (espinheira-santa) e Valeriana officinalis (valeriana). Verificou-se também aumento no conhecimento dos riscos da fitoterapia, embora sem o respectivo aumento na notificação de reações adversas. O estudo confirmou a importância da inclusão dos cursos em "Plantas Medicinais e Fitoterapia" na graduação e na pós-graduação, bem como da capacitação técnica e educação permanente para profissionais de saúde do SUS. Conclusão [...]
doi:10.1590/1981-5271v44.1-20190190.ing fatcat:py5wfdj73vasxht7abpmyqoy64