TERRITÓRIOS DA COZINHA SOB A ÓTICA DE EMPREGADAS DOMÉSTICAS

Felipe Gouvêa Pena, Luiz Alex Silva Saraiva
2017 Revista de Gestão Social e Ambiental  
As cozinhas domésticas recentemente tem sido ressignificadas em função de aspectos arquitetônicos e midiáticos que lhes destinam a função de espetacularização da preparação de alimentos, silenciando sobre diversas dimensões associadas ao cozinhar. Para problematizar este quadro, o objetivo aqui é identificar e analisar os territórios da cozinha sob a ótica de empregadas domésticas, o que foi feito a partir do método indutivo com base em um estudo qualitativo de caráter descritivo, no qual foi
more » ... ada a fotoelicitação para a coleta de dados e a análise do discurso para tratar das falas de empregadas domésticas. Os principais resultados sugerem territórios marcados em função de diferentes elementos. Encontramos diferentes formas de apropriação e diferentes argumentos que as sustentam, como a "cozinha de verdade", em que cozinhar se relaciona a uma obrigação, e a um cotidiano muitas vezes de melancolia e tristeza; a "cozinha moderna" como espaço de status social e distinção; a "cozinha bem montada" enquanto espaço de prazer e alegria; e a "cozinha como vitrine", possibilitando a autopromoção por meio da exposição. As empregadas domésticas buscaram se afastar de algumas imagens e se aproximar de outras, como se tentassem compreender qual o território que se assemelhava às suas vivências e desejos. As principais implicações do estudo apontam a necessidade de politizar espaços aparentemente neutros, como a cozinha, e encará-los também sob a ótica de produção social de desigualdades de raça, de gênero e de trabalho, ampliando os diálogos no campo dos estudos organizacionais.
doi:10.24857/rgsa.v0i0.1382 fatcat:6ogftjt2zrgcrodkqipbqcf7ju