CARTOGRAFIA GEOMORFOLÓGICA DETALHADA: A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO RELEVO ENTRE 1950-1970

Lylian Z. D. Coltrinari
2012 Revista Brasileira de Geomorfologia  
Resumo Sistemas de cartografia geomorfológica propostos por países europeus, entre eles Polônia, França e Rússia, datam dos anos 1950; os congressos da UGI balizaram a evolução da cartografia desde 1956 quando cartas geomorfológicas detalhadas foram apresentadas no Congresso Internacional de Geografia do Rio de Janeiro. Em 1960, a UGI criou, na Comissão de Geomorfologia Aplicada, a Subcomissão de Cartografia Geomorfológica que estabeleceu regras para execução das cartas e determinou a prática
more » ... erminou a prática de levantamentos específicos para a pesquisa geomorfológica. Adotaram-se princípios uniformes para permitir comparações entre cartas e subsidiar o planejamento econômico com representações corretas do relevo. Em 1962, a Conferência Internacional da UGI na Polônia analisou mapas geomorfológicos de 14 países, mas a disparidade de conteúdos e formas de representação prejudicou comparações entre eles. Para incentivar a construção de mapas compatíveis se recomendou a realização de mapas baseados em trabalho de campo complementado com fotos aéreas, plotados em cartas topográficas detalhadas e produzidos em escalas de 1:10.000 ─ 1:100.000. A representação completa do relevo do ponto de vista da dinâmica requeria a inclusão de dados morfográficos, morfológicos, morfogenéticos e morfocronológicos e a identificação das feições por meio de signos multicoloridos. A composição da lista de formas e a escolha dos signos da legenda tiveram como base legendas existentes e/ou dados de mapas geomorfológicos de áreas com históricos geológico-ambientais diversos; a legenda deveria ser continuamente atualizada e complementada com dados de regiões diversas daquelas onde se originaram os sistemas existentes. Em 1972, Demek editou o Manual de Cartografia Geomorfológica Detalhada, que sistematiza resultados de propostas discutidas pela Subcomissão no Congresso da UGI em Nova Delhi (1968). Palavras-chave: Princípios da cartografia geomorfológica; legenda e carta geomorfológica detalhada; UGI. Abstract In the 1950's geomorphological mapping systems were proposed in diverse European countries, notably Poland, France and Russia; later evolution can traced back to 1956 when detailed geomorphological maps were presented in the IGU International Congress (Rio de Janeiro). In 1960, was formed a sub-commission on geomorphological mapping within the Commission on Applied Geomorphology; principles for execution of geomorphological mapping and the adoption of specific survey for geomophological research were proposed. Uniform ideas and principles for map construction should allow comparisons among geomorphological maps and supply national economies with detailed maps and appropriate representation of landforms. In 1962, an international conference of the UGI in Poland reviewed geomorphological maps performed in 14 countries but comparisons were difficult due to disparities in content and manners of representation. To emphasize the relevance of comparable maps the conference recommended that maps should be based on field data supplemented by aerial photographs, plotted on detailed topographic maps and produced on scales 1 : 10,000 -1 : 100,000. Complete representation of relief from the standpoint of dynamics required the inclusion of morphometric, morphographic, morphogenetical and morphochronological data and features identified by multicoloured signs. The sub-commission was directly responsible for the unified legend's list of landforms and choice of signs, based upon existing keys and/or data from earlier geomophological maps representing diverse geological and climatic environments; it should be permanently completed. In 1972, J. Demek edited the Manual of Detailed Geomorphological Mapping that systematizes results of former proposals discussed by the sub-commission in the UGI 1968 congress in New Delhi.
doi:10.20502/rbg.v12i0.265 fatcat:2qhr53oorjd4hikmp4bdh6kzou