Identificação das causas de perdas pós-colheita de cenoura no varejo, Brasília-DF

Milza M. Lana, Antônio Williams Moita, Edson F. do Nascimento, Geraldo da S. e Souza, Mário Felipe de Melo
2002 Horticultura Brasileira  
As perdas pós-colheita de cenoura em 4 lojas de uma rede de supermercados de Brasília foram avaliadas pelo período de um ano. A amostragem foi realizada em duas etapas: antes da exposição do produto na área de vendas (amostra Qualidade Inicial) e após o descarte das perdas do produto (amostra Descarte). Foram quantificadas a proporção de raízes pequenas, médias e grandes e a incidência dos danos: bifurcação, rachadura, defeitos de formato, doença, praga, dano mecânico e outros. A cenoura
more » ... s. A cenoura comprada pelo supermercado apresentou cerca de 86,88 + 0,66% das raízes na faixa de 12-22 cm. No descarte, diminuiu a proporção de cenouras médias e grandes, enquanto aumentou a proporção de cenouras pequenas e quebradas. A proporção de raízes com ombro verde foi reduzida de 23,74 + 1,11% na amostra Qualidade Inicial para 13,29 + 1,37% na amostra Descarte, indicando que grande parte das raízes com ombro verde foi adquirida pelo consumidor, e neste caso não parece ter sido um fator indutor de perda. Cerca de 51% das cenouras recebidas no supermercado apresentavam algum tipo de dano, sendo os mais importantes defeitos de formato (31,0 + 1,16%), dano mecânico (9,46 + 0,4%) e murcha (4,66 + 0,99%). As principais causas de descarte foram dano mecânico (37,4 + 2,47%), defeitos de formato (32,0 + 2,58%) e murcha (7,6 + 1,59%).
doi:10.1590/s0102-05362002000200026 fatcat:wfj6l2p4mfcbdaqiaq4jayc4re