Trimalquião, os coronéis e a piscina: retrato impiedoso de um país em crise [chapter]

António Manuel Gonçalves Mendes
Ensaios sobre Mário de Carvalho  
In this article we attempt to read Mário de Carvalho's novel Fantasia para dois coronéis e uma piscina, focussing on the ideological analysis of representative passages with special emphasis on two recurrent processes used by the author: irony and parody. Taking into account all explicit references to Classical authors, works or themes, ranging from Horace to Petronius, and from the invokation of the muses to that of the deus ex machina, we seek to draw a parallel between the Classical past and
more » ... Classical past and the present, thus providing an accurate picture of the Portuguese society, with its vices and defects, on the verge of the 21st century. Com a publicação, em Novembro de 2003, do romance Fantasia para dois coronéis e uma piscina 1 , que tem merecido o melhor acolhimento por parte da crítica e do público 2 , Mário de Carvalho dá continuidade a "um opus dos mais consistentes da contemporaneidade" 3 , recuperando alguns tópicos e técnicas já revelados em obras anteriores, mas conferindo-lhe novidade, a começar pela designação deste seu romance como um "cronovelema" (p.34), que o autor define como "uma narrativa que participa de vários géneros de escrita -novela, crónica, cinema e até poesia" 4 . Para além disso, este livro apresenta-se como um filme em forma de romance, em que a narrativa é apresentada numa sucessão de planos, sugerindo-se a movimentação de câmara, como se os vários 1
doi:10.14195/978-989-26-0548-7_8 fatcat:4md47n67evedbl2s32qkmmxuia