Duddingtonia flagrans no controle de nematoides gastrintestinais de equinos em fases de vida livre

A. Buzatti, C.P. Santos, M.A.M. Fernandes, U.Y. Yoshitani, L.K. Sprenger, M.B. Molento
2017 Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia  
RESUMO O objetivo deste estudo foi avaliar a atividade predatória do fungo Duddingtonia flagrans contra larvas infectantes (L3) de nematoides gastrintestinais na pastagem e no bolo fecal de equinos, em um período de 21 dias. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com três grupos tratados (G1, G2 e G3) e um controle (C), com oito animais/grupo. Os tratados receberam 1,5x105; 3x105 e 6x105 clamidósporos de D. flagrans/kg-1peso vivo animal, G1, G2 e G3, respectivamente, durante 21
more » ... amente, durante 21 dias, com administração a cada três dias. Foram delimitadas 36 áreas de 1m2 cada, equivalendo a repetições em triplicata para cada grupo. As fezes foram coletadas dos animais nos dias 0 (D0), 15 (D15) e 30 (D30 = sete dias após a última administração dos tratamentos) e depositadas nessas áreas de pastagem. O número de larvas presentes nos bolos fecais e na pastagem foi avaliado após 14 e 21 dias de cada etapa de deposição. A avaliação da atividade predatória de D. flagrans na pastagem e nos bolos fecais demonstrou que a redução do número de L3 nos bolos fecais foi acompanhada pelo aumento da variável na pastagem. Não se constatou diferença significativa entre os grupos avaliados em decorrência da temperatura média registrada durante o período. As avaliações realizadas em um curto período podem ser insuficientes para a avaliação do efeito do fungo.
doi:10.1590/1678-4162-9028 fatcat:db7huoktnrhwvcemzmokzj45f4