SÍNDROME METABÓLICA E ESTRESSE DE AGENTES DE SEGURANÇA PENITENCIÁRIA

Andréa Luísa Ribeiro Roque Silva, Geovana Eduarda Ribeiro Bueno Sales, Leila Fátima Maioqui Fonseca Fonseca, Marcos Henrique Astolfo, Paula Gamba Manoel, Pollyanna Oliveira da Silva, Carlos Alexandre Santos, Elias Antônio Augusto Zenun, Cristiane Aparecida Silveira, Cristiane Fonseca Freitas
2017 Arquivos de Ciências da Saúde  
Introdução: O trabalho dos agentes de Segurança Penitenciária é estressante, com reflexos diretos na saúde laboral. Objetivo: comparar fatores de risco que desencadeiam Síndrome Metabólica relacionada ao estresse nos agentes penitenciários. Material e Métodos: Estudo quantitativo, transversal, descritivo realizado com agentes de segurança penitenciária de um município de Minas Gerais. Utilizou-se instrumento semiestruturado para caracterização amostral, exames antropométricos, avaliação da
more » ... , avaliação da pressão arterial, coleta de sangue para análise bioquímica. O estresse foi avaliado com o Inventário de Sintomas de estresse de Lipp. A pesquisa foi aprovada pelo Comité de Ética em Pesquisa (Parecer 110218 CAAE: 05360512.9.0000.5137). A análise foi a partir da estatística descritiva e inferencial. Resultados: Foram pesquisadas 38 agentes de Segurança Penitenciária. Os agentes, masculinos e femininos, respectivamente, apresentaram os seguintes parâmetros: média de idade 33,00 ± 1,86 anos vs 33,37±1,36 anos. Quanto aos exames alterados: pressão arterial 23,33% 138,81/93,09 ± 1,42/1,50 mmHg) vs 12,5% (145,00/94,5±2,89/0,50 mmHg); glicemia 36% (101,67 ± 1,68 mg/dl) vs 37,50% (110,11 ± 3,94 mg/dl); triglicerídeos 26,57% (317,50 ± 26,57 mg/dl) vs 15,22% (233,83 ± 15,22 mg/dl); HDL baixo 46,67 % (30,92 ± 1,4 mg/dl) vs 75% (35,59 ± 2,27 mg/dl); Circunferência abdominal aumentada 14,44% (110,6 ± 2,12 cm) vs 50% (97,00 ± 2,86 cm); obesidade 37,50% (33,53 ± 0,72) vs 23,33% (33,13 ± 0,53); colesterol total alto 18,75% (272 ± 7 mg/dl); LDL alto 18,75% (168,40 ± 2,40 mg/dl) nos homens e nas mulheres 10% (170,07 ± 2,59 mg/dl); 70,00% dos homens e 100% das mulheres em alguma fase de estresse. Conclusão: As mulheres tiveram maiores médias de pressão arterial e glicemia, bem como todas estavam em estresse. Entretanto, as frequências de dados alterados foram maiores entre os homens. O estudo mostra a correlação entre as variáveis que definem Síndrome Metabólica e estresse entre agentes prisionais, sendo que a maioria dessas variáveis é modificável.
doi:10.17696/2318-3691.24.3.2017.755 fatcat:icdx64hibjfpnfw6u2e5lgm7ka