Introdução Geral à Pesquisa do Jornalismo Global

A.A. Schmitz
2010 Comunicação & Sociedade  
O livro Global Jornalism Research oferece abordagens teóricas e metodológicas para o estudo do jornalismo no mundo, traçando as oportunidades e os desafios para a pesquisa em um campo cada vez mais global. Reúne 26 pesquisadores conceituados -sendo nove alemães, cinco norte-americanos e doze de outros países -, que contribuem para uma visão mundial em diferentes abordagens, métodos e paradigmas. Igualmente analisa os impactos da evolução do jornalismo como um fenômeno internacional, a exemplo
more » ... cional, a exemplo das redes jornalísticas que rompem as fronteiras nacionais e culturais. Abordar a pesquisa internacional do jornalismo é, ao mesmo tempo, uma tarefa ambiciosa e um desafio, pois as práticas não são as mesmas em todas as culturas. Nisso, o livro organizado pelos pesquisadores Martin Löffelholz (Alemanha) e David Weaver (EUA) torna-se uma importante obra de referência para os estudos do jornalismo, embora contemple politicamente alguns países em detrimento de outros, deixando, por exemplo, o Brasil, Japão, Rússia e França, praticamente à margem deste contexto. Segundo os editores, a proposta do livro é ser "uma introdução geral à pesquisa do jornalismo global" (p.286). Já no prefácio, Löffelholz e Weaver defendem que o jornalismo torna-se "cada vez mais homogêneo na sua estrutura evolutiva de produção de notícias e de normalização e, ao mesmo tempo, que ocorre em culturas completamente distintas". Assim, os padrões teóricos e metodológicos de pesquisa acadêmica configuram-se cada vez mais universais, permitindo aos pesquisadores analisar as práticas do jornalismo de forma global. No entanto, esse processo de homogeneização, certamente seja fruto da convergência do modelo liberal de jornalismo praticado nos Estados Unidos e Europa Ocidental, que na era da globalização torna-se um "padrão global" para os produtos, processos e procedimentos jornalísticos no restante do mundo. Assim, as definições, suposições e perspectivas partem de um modelo globalizado. Isso, por um lado, facilita os estudos de teorias e métodos, por outro, pode levar à miopia de uma visão das particularidades do jornalismo em cada sociedade. A política também está presente no mundo da pesquisa acadêmica. Isso fica claro nesta obra. Assim, o jornalismo da América Latina, África e Ásia ganham capítulos de consolo em nome do "global" e não pela sua importância no contexto internacional, com raras exceções. Será que o México é parâmetro para o jornalismo de toda a América Latina? Mas não faltam referências ao jornalismo norte-americano, britânico e alemão, como indicadores de padrões Resenha
doi:10.15603/2175-7755/cs.v32n54p261-267 fatcat:yfmd3sneqrg6jbe5xfjkvagtpq