O que o cinema quer da gente é coragem: negridade e dissidência sexual & de gênero nas produções da Rosza Filmes

Matheus Araujo Dos Santos
2021 Rebeca: Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual  
A partir a produção da Rosza filmes, penso em como os longas-metragens Café com Canela (2017), Ilha (2018) e Até o Fim (2019), dirigidos por Glenda Nicácio e Ary Rosa, sugerem táticas de descolonização da imagem e do mundo que emergem da articulação entre negridade e dissidências sexuais de gênero.
doi:10.22475/rebeca.v9n2.704 fatcat:lfeohlcdynhopc3y35e2upsqbu