RESERVAS EXTRATIVISTAS SEM EXTRATIVISMO: UMA TENDÊNCIA EM CURSO NA AMAZÔNIA?

Josimar Da Silva Freitas, Milton Cordeiro Farias Filho, Alfredo Kingo Oyama Homma, Armin Mathis
2018 Revista de Gestão Social e Ambiental  
Temporalmente, as Reservas Extrativistas (RESEX) perdem identidade de Unidades de Conservação de uso sustentável, à medida que os resultados se apresentam insustentáveis. Nestes termos, avaliamos os resultados das políticas estatais, os sistemas produtivos e os impactos ambientais que impedem alcançar conservação e desenvolvimento. Este estudo é importante porque poucas literaturas discutem esta temática, e as que foram enunciadas até o momento não avaliam o modelo a partir da presença Estatal,
more » ... a presença Estatal, dos sistemas de produção e dos impactos ao meio ambiente, portanto, oriundos destas interrelações. A pesquisa foi desenvolvida por meio do estudo de associação com interferência, onde algumas variáveis dependeram de outras, e, além do mais, foram aplicados formulários semiabertos e entrevistas livres. Aqui, concluímos que as RESEX são insustentáveis porque estas áreas foram criadas para conservação ecossistêmica, e não para melhoria de vida de milhares de famílias. De igual modo, a insustentabilidade de conservação e desenvolvimento acontece em detrimento do abandono, da repressão e exclusão Estatal.
doi:10.24857/rgsa.v12i1.1388 fatcat:vif3lm74qzezzjye367ep7u2au