PERSPECTIVA DA EMANCIPAÇÃO NA AMÉRICA LATINA E DESAFIOS PARA O SERVIÇO SOCIAL NO BRASIL E NA COLÔMBIA

Josefa Batista Lopes
2014 Revista de Políticas Públicas  
O artigo faz indicações de análise histórica sobre desafios do Serviço Social no Brasil e na Colômbia, em relação à perspectiva da emancipação na América Latina, considerando o período histórico aberto com a contrarrevolução burguesa sob o neoliberalismo. Resultado de pesquisas sobre a temática das lutas sociais e o Serviço Social sustentasena análise marxista sobre emancipação como categoria e perspectiva histórica da humanidade, desenvolvendo a hipótese de que: há retrocesso em relação ao
more » ... o em relação ao movimento de construção da alternativa emancipatória nesse continente, mas também há resistências rearticulando forças e mantendo viva a perspectiva; a vinculação do Serviço Social aessa alternativa, como profissão integrante das estratégias de enfrentamento à questão social, segue as tendências da correlação de forças no movimento social. Conclui, daí, que essa vinculação impõe desafios em todas as dimensões da prática profissional participando, nas particularidades dos dois países, da resistência e sustentação da luta emancipatória em curso na rearticulação de forças dos sujeitos em luta.Palavras-chave: Emancipação; América Latina, luta de classes, contra revolução burguesa, questão social, Serviço Social.PERSPECTIVE OF EMANCIPATION IN LATIN AMERICA AND CHALLENGES FOR THE SOCIAL WORK IN BRAZIL AND IN COLOMBIAAbstract: The article points out the historical analysis about challenges of Social Work in Brazil and Colombia concerning the perspective of the emancipation in Latin America, considering the historical period opened with the counter bourgeois revolution under the neoliberalism. Results of researches on the topic of social struggles and Social Work supports itselfon the Marxist analysis of emancipation as a category and historical perspective of humanity, developing the hypothesis that: there is setback in relation to the movement of construction of emancipatory alternative in this continent, but there are also resistance forces regrouping and keeping the expectation alive; the binding of Social Work to this alternative, as aprofession that takes part of strategies to deal with social issues, follows the trends of the correlation of forces in the social movement. It concludes that this binding poses challenges in all dimensions of professional practice by participating in the peculiarities of the two countries, of the resistance and support of emancipatory struggle undergoing in the re-articulation of forces of the fighting subjects.Keywords: Emancipation, Latin America, class struggle, counter bourgeois revolution, social issue, Social Work
doi:10.18764/2178-2865.v18nep323-328 fatcat:jqgrr4vhfja2xi2i3yjhikzx7a