Processos musicais: entre a experimentação e a criação

Fernando Lazzeta
2015 Resonancias Revista de investigación musical  
A arte e seu lugar Sem dúvida, uma das questões mais marcantes entre o discurso e a prática musical no século XX é a conexão entre a música, a ciência e a tecnologia. Esta conexão se tornou explícita a partir do advento da fonografia, ou seja, da possibilidade de registrar e reproduzir sons. A fonografia modificou nossos hábitos de escuta, permitiu a comparação entre performances realizadas em tempos e espaços diferentes, transformou o ouvinte em colecionador (de discos, de CDs, de arquivos de
more » ... Ds, de arquivos de mp3), horizontalizou o acesso -antes restrito a quem pudesse estar presente em uma performance-a uma quantidade e variedade de músicas que ainda hoje nos espanta. Tornada fenômeno de massa, a fonografia estimulou mercados, impôs modismos, gerou ícones culturais. No final dos anos de 1940, a fonografia teve suas técnicas de reprodução apropriadas e transformadas em técnicas de produção. Gravadores, filtros e outros dispositivos de áudio utilizados até então para o registro e difusão sonora tornaramse instrumentos de fazer música. Daí surge a música eletroacústica e, mais tarde, as músicas eletrônicas do ambiente pop. Das criações mais experimentais às produções destinadas ao mercado do entretenimento, não é possível compreender a história da música dos últimos 100 anos sem que se leve em conta a sua relação com as tecnologias de registro, difusão e criação musical. Enquanto a conexão entre a música e a tecnologia se tornou evidente no decorrer do século XX, a conexão entre um pensamento musical e um pensamento científico, se apresenta de maneira mais sutil. Essa conexão aparece muitas vezes na forma de um conflito. Por um lado a racionalidade da ciência é tomada como oposta à liberdade expressiva e sensível da arte. O ideal artístico como expressão do eu, que foi herdado do romantismo, ainda serve para delimitar o campo da arte em relação a outras esferas da cultura que, desde o Iluminismo, vão sendo cada vez mais dominadas por uma postura racionalista. Por outro lado, com o sucesso da ciência moderna no sentido de explicar a natureza e o homem, a aproximação da arte com
doi:10.7764/res.2015.36.10 fatcat:grftdnhci5aaxdjgvxvautaw2u