POSSIBILIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL OFERECIDAS PELO CENTRO DE CONVIVÊNCIA INFANTIL DA UNESP DE PRESIDENTE PRUDENTE: O INTRAINSTITUCIONAL E O EXTRAINSTITUCIONAL

Renata Pavesi, Elaine F.Dornellas de Souza
2013 Colloquium Humanarum  
RESUMO A partir do estágio supervisionado em Gestão Escolar desenvolvido no Centro de Convivência Infantil da UNESP de Presidente Prudente, identificamos e descrevemos quais as possibilidades de contribuição para a formação profissional que a instituição pode oferecer. Ressaltamos a importância do processo de contínuo de construção do profissional de educação e a necessidade de oportunidades de formação e qualidade de formação para que se contribua veementemente com esse profissional. Deste
more » ... issional. Deste modo duas vias de formação foram identificadas e denominadas de intrainstitucional -tem como agentes protagonistas a equipe de profissionais da instituição e o extrainstitucional -tem como agentes protagonistas o público externo a instituição, vinculado a Universidade e/ou comprometidos com a Educação Infantil. Palavras chave: formação profissional -educação -formação inicial -Centro de Convivência Infantil -Universidade INTRODUÇÃO Sabemos que é no ingresso do curso de graduação que a formação profissional se inicia, são anos dedicados a adquirir conhecimento teórico e prático para que ao fim se obtenha a titulação que torna o acadêmico legalmente apto para atuar na área a qual escolheu para desenvolver-se profissionalmente. Já inserido no mercado de trabalho, visando a aquisição e a manutenção de um trabalho de qualidade é indispensável, em qualquer área de atuação, que a atualização e formação continuada estejam presentes e seja uma prática recorrente. Tratando-se do profissional de educação compreendemos que atualizar-se deve tornar-se um hábito, como nos aponta Vasconcellos: "A tarefa do professor é extremamente importante e complexa: deve estar preparado para exerce-la, ou melhor, considerando que a prática é dinâmica e aberta, e que o professor não se propõe a realizar uma atividade e repetitiva, deve estar constantemente se qualificando para exerce-la. Tal qualificação, portanto, não se dá necessariamente a priori; pode se dar antes (reflexão para a ação), durante (reflexão na ação) e após a pratica (reflexão sobre a ação e sobre a reflexão para e na ação). Mesmo quem saiu dos melhores centros universitários sabe que não domina tudo o que a atividade educativa exige, tendo necessidade de aprimoramento contínuo". (Vasconcellos, p.122-123, 2008)
doi:10.5747/ch.2013.v10.nesp.000578 fatcat:trkxct27qjdcpgqc6diisqmnby