Um estudo sôbre o impacto da qualidade e produtividade na manufatura

Otacilio Jose Moreira
2013 Sustainable Business International Journal  
Em sua busca para manter-se competitiva, sobreviver e assegurar crescimento sustentável no mercado interno e competitividade frente ao mercado global, as organizações atuais são diariamente pressionadas para produzir produtos de qualidade a um custo menor que a concorrência. De acordo com Mohanty (2000), "São a produtividade (adição de valor ao produto) e a qualidade (aumento de valor ao produto) que determinam a competitividade. Para se manterem competitivas, as organizações precisam integrar
more » ... precisam integrar e criar sinergias entre a produtividade e qualidade". Porisso, muitas são as organizações que envidam esforços contínuos de, simultaneamente, melhorar a produtividade e a qualidade. O resultado desejado é o de fornecer ao cliente " o produto certo, na hora certa, no local certo e ao menor custo possível" Ballou,( 2006). Apesar de reconhecerem a necessidade de integrar e criar a sinergia mencionada, alguns profissionais da indústria enxergam as estratégias de melhoria da qualidade e produtividade como uma antítese e, assim, percebem tais estratégias como um trade-off ou um dilema Deming (1986). Como postulado por Deming (1982), "Reza o folclore que nos Estados unidos, que a qualidade e produtividade são incompatíveis, que não se podem ter ambos. Um gerente de manufatura lhe dirá que é uma coisa ou outra. Pela sua experiência, se forçar a qualidade, a produtividade diminui: se forçar a produtividade, a qualidade sofre". Já um estudo realizado em 1987 nos Estados Unidos , mostrado por Stock e Lambert (1994) conclui que os atributos do produto e serviço oferecidos ao cliente, contribuem mais fortemente para garantia do "market share" do que outros atributos do "market mix" como preços e promoções.Palavras-chave: Produtividade, qualidade, desempenho, manufatura.
doi:10.22409/sbijounal2013.i28.a10211 fatcat:uk5qtz6myjceld34zy7grewotu