Efeitos do alumínio sobre o desenvolvimento e a composição mineral de quatro leguminosas forrageiras tropicais

Lia M. Beatriz F. Jardim, E. Malavolta
1984 Anais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz  
Quatro leguminosas forrageiras tropicais (Galactia striata (Jacq) Urb. , Glycine wightii Verde. cv. Tinaroo, Macvoptilium atropurpureus cv. Siratro e Stylosanthes guianensis (Avbl) Swartz cv. IRI 1022) foram cultivadas em solução nutritiva recebendo doses de alumínio de 0,5 , 10 e 20 ppm, com o objetivo de se verificarem os efeitos das doses crescentes do elemento sobre as díferentes espécies. Submetendo-se os dados de produção de matéria seca e de concentrações de macro e micronutrientes à
more » ... cronutrientes à análise estatística, observou-se o seguinte: a) O estilosantes e a galactia mostraram-se mais tolerantes. A galactia apresentou a máxima produção em presença de 5 ppm de Alumínio, não sendo afetada pelas concentrações mais elevadas. O estilosantes apresentou a máxima produção em presença de 20 ppm de Alumínio. b) A soja e o siratro mostram-se sensíveis, notando-se uma queda na produção de matéria seca em presença de 20 ppm de Alumínio na solução. A soja mostrou sintomas mais graves de toxidez, apresentando seu sistema radicular totalmente danificado na concentração mais alta de Alumínio na solução. c) A adição de Alumínio provocou uma diminuição nas concentrações de fósforo, cálcio e magnésio nas raízes ou partes aéreas das plantas e de manganês nas raízes e uma elevação na concentração de Alumínio nas raízes.
doi:10.1590/s0071-12761984000200012 fatcat:lk2bxfvz4nc6texglm7awe3jzq