Natalidade e revolução em Hannah Arendt

Antônio Batista Fernandes
2021 Perspectivas  
O presente artigo tem por objetivo discutir o conceito de natalidade e sua relação com o fenômeno revolucionário a partir do pensamento de Hannah Arendt. Para tanto, laçaremos mão de algumas obras de referência da autora para pensar tal categoria, a saber: Origens do Totalitarismo (1951), A condição humana (1951) e Sobre a Revolução (1963). Para Arendt, o conceito de natalidade está diretamente relacionado a capacidade dos indivíduos de iniciarem coisas novas no mundo, isto é, de serem
more » ... es de um mundo inteiramente novo. O fenômeno revolucionário moderno, por sua vez, representa um novus ardo saeclorum, uma novidade que se tornou possível por meio da ação conjunta dos homens e da capacidade de começar própria daqueles que são os recém-chegados ao mundo. Portanto, nosso problema consiste em constatar a centralidade do conceito de natalidade no pensamento político de Arendt, bem como sua relação com o fenômeno revolucionário moderno.
doi:10.20873/rpv6n2-04 fatcat:gol4t4o5wjgf3jmscnz5xnlvia