Pensar uma antropologia das profundezas à luz de questões de epistemologia genética

Ana Luiza Carvalho da Rocha
2001 ILUMINURAS  
Inicialmente gostaria de agradecer o convite que me foi feito para participar deste encontro, pois enquanto antropóloga, trabalhando há sete anos no GEEMPA com o processo de escolarização de alunos de classes populares de Porto Alegre, encontro aqui uma chance de interlocução com pesquisadores e intelectuais de outras áreas preocupados com o tema das aprendizagens humanas. Minha participação neste encontro constituir-se-á de uma reflexão em torno dos comentários de J. Piaget acerca da natureza
more » ... acerca da natureza social da mente humana no sentido de cotejá- la com as produções recentes da sociologia das profundezas, em particular, com a tradição de pensamento inaugurada pelos estudos de G. Durand sobre as estruturas antropológicas do imaginário. Inicialmente cabe ressaltar que minha intenção aqui é trazer algumas reações de estudos da Antropologia do imaginário às abordagens da epistemologia genética quanto ao fenômeno das diferenças das formas de pensamento geradas no interior das sociedades humanas. Em particular, refiro-me aos estudos piagetianos a respeito do aparecimento do fenômeno da existência de representações coletivas racionais no bojo da vida social.
doi:10.22456/1984-1191.9116 fatcat:bzehfezfz5cltegbyj6idyyjwm