Formação ou reificação?: A educação entre o mesmo e o outro

Amarildo Luiz Trevisan
2011 Educação & Sociedade  
O artigo propõe discutir em que medida a categoria da reificação pode auxiliar a educação na leitura dos processos de estetização do mundo da vida. No giro da formação cultural, a dialética colocara o indivíduo, ou o em si, em contraposição com o mundo, num processo de alienação ou de estranhamento com o outro que conduzia à progressão gradativa do espírito em direção a um reino de mais liberdade. Marx subverte a relação ao dizer que a reificação ocorre no sentido contrário, isto é, na
more » ... isto é, na materialidade do trabalho alienado que transforma regressivamente o sujeito em algo sempre igual, em objeto, em coisa, isto é, no mesmo. A educação, ao avaliar as contribuições da cultura visual, também ficou dividida entre considerar se, de fato, ela representa a assunção do mesmo ou do outro, o vivo ou morto. Cabe analisar se a realização de uma leitura dos processos de estetização do ponto de vista desta categoria, compreendida no sentido hermenêutico, possibilita então uma saída deste impasse.
doi:10.1590/s0101-73302011000400016 fatcat:boiycgtupff45nd2aaa2ba65mu