Hemoperitoneo por linfoma em raiz mesentérica

Maria Eduarda Moreira Volpato
2017 Revista Acadêmica  
Resumo Hemoperitoneo é o acúmulo anormal de sangue na cavidade peritoneal. Embora a real frequência do mesmo em equinos seja desconhecida, esta condição tem sido pouco relatada nesta espécie. A ampla possibilidade de causas e a severidade das manifestações presentes requerem uma interpretação cuidadosa dos achados hematológicos e bioquímicos e dos resultados de procedimentos como abdominocentese e ultrassom abdominal. A ocorrência de hemoperitoneo pode ser secundária à ruptura esplênica ou
more » ... a esplênica ou hepática, ruptura de artérias mesentéricas por migração larval, ruptura de artéria uterina durante o parto, coagulopatias e lesões neoplásicas ou abscessos. Dentre as neoplasias abdominais relatadas em equinos está presente o linfoma, que é determinado por transformações malignas das células linfoides, podendo ser considerado a forma neoplásica mais comum do sistema hemolinfático nos equinos. Pode ser classificado como multicêntrico, alimentar, esplênico, cutâneo e subcutâneo. As manifestações clínicas nos cavalos com linfoma não são específicas e variam muito dependendo dos órgãos afetados. Algumas manifestações comuns incluem perda de peso, letargia, linfadenopatia e edema. Os achados laboratoriais incluem anemia, hiperfibrinogenemia, hiperproteinemia, hiperglobulinemia e hipoalbuminemia. Relata-se aqui o caso de um equino encaminhado ao HOVET-USP, Quarto de Milha, macho, de cerca de 6 anos, com queixa de edema recorrente em bolsa escrotal, associado à distensão abdominal e alterações em auscultação pulmonar. O veterinário que encaminhou o animal, durante exame ultrassonográfico, encontrou grande presença de líquido livre na cavidade com características de heterogeneidade que, após abdominocentese, verificouse ser sanguinolento. No HOVET-USP, o exame físico revelou baixo escore corporal, taquicardia, mucosas congestas, auscultação pulmonar com reverberação de ruídos cardíacos e intestinais e distensão abdominal. No hemograma havia neutrófilos hipersegmentados, aumento de monócitos (1.068/µL) e de fibrinogênio (600 mg/dL). Também havia diminuição de albumina (1,82 g/dL) e aumento de bilirrubina indireta (6,47
doi:10.7213/academica.15.s01.2017.142 fatcat:exwnkwzkijfihnfgoel7gbo66q