HIBRIDISMO: um tropo enganoso e a história do uso de uma metáfora

José Newton Coelho Meneses
2020 Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Pará  
Resumo O presente artigo é fruto de uma comunicação oral realizada em dois eventos distintos, quando foram motivadoras de ricas discussões. Apresenta-se como um ensaio bibliográfico e histórico com o objetivo de refletir sobre a adequação da metáfora hibridismo e híbrido na caracterização de fenômenos culturais importantes, como é o caso do processo histórico de encontros de culturas, comumente tratados como mestiçagens culturais. Questiona a adequação da metáfora, tendo como fundamento o
more » ... fundamento o estudo histórico dessa nomeação, por parte de historiadores e de outros cientistas sociais ao longo da história, centrando-se na observação contemporânea desse uso, principalmente no âmbito da América latina. O texto busca apresentar a preocupação com respeito ao uso cultural das metáforas exemplificando com o caráter dúbio e múltiplo dos significados da palavra híbrido, construído no decorrer da história e seu uso para adjetivar as riquezas culturais. Tal preocupação busca ter dimensão conceitual e metodológica e, neste sentido, perscruta as temporalidades do conceito de hibridismo biológico e em que medida a palavra híbrido está presente no pensamento moderno e não moderno. Apresenta questões sobre os contornos semânticos assumidos pela palavra em contextos histórico-culturais distintos e, ao final, questiona a tradição (entendendo-a como transmissão) de seu uso, muitas vezes irrefletido, naturalizado. Conclui que as expressões híbrido(a)/hibridismo, por sua dubiedade interpretativa, são pouco aderidas às realidades interpretadas e, assim, servem pouco como convenções para o entendimento denotativo de nossas interpretações. Palavras-Chaves: Híbrido-Hibridismo-Cultura-Transculturação-mestiçagens. Abstract This article is the result of an oral communication held in two different events, when they were motivators of rich discussions. It is presented as a bibliographic and historical essay with the objective of reflecting on the adequacy of the hybridism and hybrid metaphor in the characterization of important cultural phenomena, as is the case of the historical process of meeting cultures, commonly treated as cultural miscegenations. It questions the adequacy of the metaphor, based on the historical study of this nomination, by historians and other social scientists throughout history, focusing on the contemporary observation of this use, mainly in the context of Latin America. The text seeks to present the concern with respect to the cultural use of metaphors, exemplifying with the dubious and multiple character of the meanings of the word hybrid, built throughout Hibridismo: Um tropo enganoso e a história do uso de uma metáfora José Newton Coelho MENESES Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Pará (IHGP), (ISSN: 2359-0831 -on line), Belém, v. 07, Dossiê "História da alimentação e do abastecimento na Amazônia", p. 03 -13, maio / 2020. 4 history and its use to adjectify cultural riches. This concern seeks to have a conceptual and methodological dimension and, in this sense, examines the temporalities of the concept of biological hybridism and the extent to which the word hybrid is present in modern and non-modern thought. It presents questions about the semantic contours assumed by the word in different historical-cultural contexts and, at the end, questions the tradition (understanding it as transmission) of its use, often thoughtless, naturalized. It concludes that the expressions hybrid (a) / hybridism, due to their interpretive dubiousness, are little adhered to the interpreted realities and, thus, serve little as conventions for the understanding of our interpretations.
doi:10.17648/ihgp.v7i01.205 fatcat:n6x75yttifh6bgwaosgvitdb5q