Precisão da retinoscopia sem lentes neutralizadoras na hipermetropia experimental de olho artificial

Beatriz Simões-Corrêa, Augusto Duarte, Alessandra Torres, Alexandre Alvarez Escaneo, Lilia Lucena, Leonardo Ferreira da Costa, Marcio José Salgueiro, Monick Goecking
2012 Revista Brasileira de Oftalmologia  
RESUMO Objetivo: Avaliar a acurácia e a precisão da retinoscopia sem lentes neutralizadoras na hipermetropia experimental de olho artificial. Métodos: Observação da projeção da faixa do retinoscópio em olho artificial preparado para apresentar hipermetropias de +1,00 D a +8,00 D. A movimentação da faixa é feita simultaneamente com a variação da sua largura, deslocando a luva do retinoscópio até a obtenção da neutralização do movimento. O retinoscópio foi preparado para dois modos de medida: com
more » ... odos de medida: com escala milimétrica sob a luva e com acoplamento a potenciômetro ligado a multímetro de leitura digital em ohms (Ù). Oito médicos oftalmologistas realizaram 1200 retinoscopias em cada modo de medida, num total de 2400. Calculou-se a média e o desvio padrão das observações. Para comparar os resultados em mm e em ohms (Ù) calculou-se o coeficiente de variação (CV) a partir dos desvios padrão das observações em cada modo. Resultados: Pelos modos descritos foi possível estimar hipermetropias até +4,00 dioptrias. Conclusão: A acurácia e a reprodutibilidade experimentais foram boas na identificação de hipermetropias até +4 ,00 D. ABSTRACT Objective: Evaluate accuracy and reproducibility of streak retinoscopy without neutralising lenses in experimental hyperopia of an artificial eye. Methods: Observe a Welsh Allynretinoscope streak through the pupil of an artificial eye prepared do show hyperopia from +1,00 D to +8,00 D. The streak was moved while varying its width by sliding the sleeve upwards until neutralisation point. The retinoscope was fitted either with a millimetre scale under the sleeve or with a multimetre connected to a rheostat driven by a spool snugly fastened around the sleeve. Multimetre readings were taken in ohms (Ù). Eight ophthalmologists performed 1200 in each mode totalysing 2400 readings. Average and standard deviation of the readings in each mode were determined, as well as the variation coefficient in order to allow comparison of results in millimetre and Ù.Results: Based on the proposed method it was possible to estimate hyperopia up to +4,00 D.Conclusion: Accuracy and reproducibility in experimental hyperopia of an artificial eye was feasible up to +4,00 D.
doi:10.1590/s0034-72802012000500006 fatcat:4xy6tj4gdzhwpj3ti4afri62fa