Influência da disfunção oral do neonato a termo sobre o início da lactação

Karine Dutra Valério, Cláudia Marina Tavares de Araújo, Sônia Bechara Coutinho
2010 Revista CEFAC  
OBJETIVO: verificar a associação entre a disfunção oral e os fatores socioeconômicos, variáveis relacionadas à mãe e ao recém-nascido com o desempenho da mamada, durante as primeiras 48 horas de vida. MÉTODOS: estudo transversal, analítico, realizado em uma maternidade pública do Recife-PE. Foram entrevistadas todas as mães de crianças nascidas a termo entre abril e julho de 2008, perfazendo 588 binômios mãe/recém-nascido. A avaliação do sistema sensório motor oral do neonato e avaliação da
more » ... e avaliação da mamada foram elaboradas, codificando-se como zero quando o item era "esperado/normal" e um quando "não esperado/de risco". A soma total dos itens "não esperados/de risco" resultou em um Índice de Disfunção Oral e um Índice de Avaliação da Mamada. RESULTADOS: verificou-se que 57,3% dos binômios mães/recém-nascidos apresentavam alteração da mamada, 43,9% apresentavam 1 e/ou 2 alterações e 13,4% maior número de alterações. A frequência de disfunção oral foi de aproximadamente 30%. Na análise de regressão logística entre as variáveis incluídas, apenas a disfunção oral manteve-se associada significativamente com o insucesso da mamada. Crianças com maior número alterações da função oral apresentaram chance 4 vezes maior de ter alteração da mamada. CONCLUSÕES: sendo as disfunções orais uma das causas para o não estabelecimento da lactação, estas devem ser identificadas precocemente, visto que podem ser corrigidas, evitando o desmame. As maternidades devem possuir equipe capacitada no manejo do aleitamento, com um profissional que dê atenção especial às alterações do sistema sensório motor oral.
doi:10.1590/s1516-18462010005000049 fatcat:44fgihean5aabn3uixhmi2t44m