As Ruínas do Engenho São Jorge dos Erasmos

E. Simões de Paula
1956 Revista de História  
NOTICIÁRIO AS RUÍNAS DO ENGENHO SÃO JORGE DOS ERASMOS. Numa pesquisa realizada pela lic. Maria Regina da Cunha Ru-drigues foram encontradas ruínas que analisadas revelaram a exis-• tência dos restos do Engenho São Jorge dos Erasmos, entre os municípios de Santos e São Vicente. Autenticadas as ruínas pelo chefe do 4.° Distrito do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e levantada a tese da prioridade do litoral vicentino na produção industrial do açúcar no Brasil, D. Maria Regina endéreçou,
more » ... Regina endéreçou, pelas colunas do jornal "O Estado de São Paulo", um apêlo aos particulares, aos usineiros paulistas para que, através de sua associação de classe, promovessem a preservação ou a restauração dos "restos" do Engenho dos Erasmos, em bases científicas, transformando o local em motivo de atração turística, .gim centro de estudos sôbre a economia e a tecnologia do açúcar e, aci-ma de tudo, num monumento de caráter histórico dos mais expres-sivos. Idéia que, excepcionalmente, encontrou franca aceitação tanto , da parte do proprietário das terras onde se acham encravadas as ruínas, como também entre os membros da Associação dos Usineiros de São Paulo. Sr. Octávio Ribeiro de Araújo manifestou, em carta datada de 4-2-1954, endereçada ao Prof. Antônio Augusto Drummond de Menezes a alta intenção de concorrer para a restauração daquele que foi o primeiro engenho do Brasil, através da doação de tôda a área de seu sítio, onde se acham as ruínas. Prontificou-se, espontâneamente, a fornecer informações minuciosas sôbre o domínio das terras, a fim de facultar elementos para a reconstituição das várias sucessões porque passou a propriedade; estudo que será feito em continuação à pesquisa já iniciada e que será, inegàvelmente,. do maior interêsse para a história dos tempos coloniais de São Paulo. Sr. Fúlvio Morganti, presidente da Associação dos Usineiros, por intermédio do Diretor Geral da Comissão do IV Centenário da Cidade (Sebastião Meirelles Teixeira -of. 7020 -Processo 1581-1954) solicitou, entre outros, o seguinte esclarecimento: "Conseqüentemente o que é preciso fazer e qual o dispêndio necessário para a reconstituição primitiva daquele monumento histórico?" primeiro item foi respondido, mas quanto ao segundo a-Penas, até o presente momento, o problema está colocado: tudo depende da resolução a ser tornada, rigorosamente, em bases científicas: restauração ou preservação dos "restos" do Engenho São Jorge dos Erasmos. Nessas condições o Diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, enviou o ofício n.° 414 ao Magnifico Reitor da Universidade de São Paulo, solicitando providências no sentido de ser determinado um perito para o exame dos "restos" mencionados, de acôrdo com o parecer da chefia do 4.° Distrito DPHAN, do que resultaria, se possível, um orçamento a ser remetido à Associação dos-Usineiros.
doi:10.11606/issn.2316-9141.v13i28p539-541 fatcat:wtoson4mj5bljdwcby3yrfxdla