RELAÇÃO VAZÃO x PRESSÃO EM MICROASPERSORES DAN 2001 SOB CONDIÇÃO ADVERSA DE OPERAÇÃO

Marco Antonio Fonseca Conceição, Rubens Duarte Coelho
2003 Irriga  
RELAÇÃO VAZÃO x PRESSÃO EM MICROASPERSORES DAN 2001 SOB CONDIÇÃO ADVERSA DE OPERAÇÃO Marco Antônio Fonseca ConceiçãoEmbrapa Uva e Vinho, Estação Experimental de Jales, Jales, SP. CP 241. CEP 15700-000.E-mail: marcoafc@cnpuv.embrapa.brRubens Duarte CoelhoDepartamento de Engenharia Rural, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP. CP 09, CEP 13418-900.E-mail: rdcoelho@esalq.usp.br 1 RESUMO Alguns microaspersores possuem membranas que regulam a sua
more » ... s que regulam a sua pressão de operação, mantendo a vazão praticamente estável dentro de uma faixa de pressão na rede hidráulica. Operadores de irrigação no campo, muitas vezes com baixo nível de instrução e sem orientação profissional qualificada, visando reduzir problemas de entupimento ou para diminuir o tempo de irrigação, costumam retirar as membranas autocompensantes para aumentar a vazão do emissores, o que pode comprometer o desempenho hidráulico do sistema. Para avaliar o efeito da retirada da membrana sobre as vazões dos microaspersores, no presente trabalho determinou-se as relações entre pressão e vazão para sete bocais do microaspersor DAN 2001, operando na ausência da membrana autocompensante. As curvas pressão-vazão sem as membranas autocompensantes apresentaram comportamento potencial com expoentes variando entre 0,58 e 0,64. As vazões dos microaspersores sem as membranas aumentaram de forma inversamente proporcional aos diâmetros dos emissores, quando comparadas às vazões nominais com as membranas. UNITERMOS: Hidráulica, irrigação, microaspersão. CONCEIÇÃO, M.A.F.; COELHO, R.D. FLOW X PRESSURE RELATIONSHIP FOR DAN 2001 MICROSPRINKLERS UNDER ADVERSE CONDITION 2 ABSTRACT Many types of microsprinklers have a self-compensating membrane to regulate their pressure, keeping a stable flow. Many producers usually take the membranes off to reduce clogging problems or irrigation time. This procedure could endanger the system hydraulic performance. To evaluate the effect of taking off the self-compensating membrane from microsprinklers it was determined, in the present work, the pressure-flow relationship for seven Dan 2001 microsprinkler nozzles operating without the membrane. The pressure-flow curves presented a potential behavior with the exponents varying from 0.58 to 0.64. Microsprinkler flows without the membranes increased inversely proportional to the emitter diameters, comparing to the nominal flows using the membranes. KEYWORDS: Hydraulic, irrigation, microsprinkler.
doi:10.15809/irriga.2003v8n1p63-68 fatcat:nptcu4f72vazvdqpsbmtbt22w4