A produção científica em economia política no tema saúde suplementar e planos de saúde no Brasil entre 2004-2012 [thesis]

Jonas Sona de Miranda Pires
Agradecimentos Aos meus pais Carlos e Delma, com uma menção especial para a minha querida mãe: eu entendo que a nossa caminhada não foi fácil, a vida nem sempre sorriu para nós, mas contra todas as adversidades você conseguiu dar a melhor formação possível para o seu filho. Obrigado por não ter desistido, do seu jeito, você lutou para que eu entendesse a importância transformadora da educação. Essa conquista, também, é sua. Ao meu orientador professor Áquilas Mendes; uma referência intelectual;
more » ... rência intelectual; foi um privilégio ser seu aluno e ter trabalhado com você nesse projeto; obrigado pela paciência e por ter me dado esta oportunidade. Ao professor Leonardo Carnut, pela empatia, generosidade, colaboração e companheirismo. Aos meus amados tios Ricardo e Gerd (in memoriam): Sempre muito carinhosos, afetuosos e presentes na minha vida, quanta saudade! À minha querida tia Clélia, também muito presente, mesmo estando longe a tanto tempo. Eu tenho orgulho em ser seu sobrinho, eu levo um pouco de você comigo. Eu admiro profundamente a sua capacidade reflexiva e o seu senso de humor crítico. Ao amigo Marcelo Alário, pela amizade sincera, generosidade, preocupação e humor anárquico. Ao Amigo Raphael Akira, por ter sempre se colocado à disposição para me ajudar nessa árdua empreitada. Aos companheiros da Faculdade de Saúde Pública e do grupo de estudos Saúde Estado e Capitalismo. Aos queridos professores da graduação: Sergio Gil Marques e Norma Casseb, por se importarem, pela sincera amizade, conselhos e encaminhamento profissional. À Beatriz Santos, pelas oportunidades concedidas, parceria e empatia. Pires, J. S. M. A produção científica em economia política no tema saúde suplementar e planos de saúde no Brasil entre 2004-2012. Dissertação-Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 2019. Resumo: A produção acadêmica na área da economia da saúde é um segmento da economia pouco explorado pelos profissionais de saúde, talvez pelo desconhecimento teórico ou pela falta de interesse desses profissionais em se aprofundar nesta área de conhecimento. No entanto, há uma importante produção acadêmica nesta área, e para nortear esse trabalho, fizemos uso da clássica obra de economia de saúde política de Braga e Paula (1981). Contudo, os artigos elaborados nesse campo estão majoritariamente alicerçados em fundamentos da teoria econômica neoclássica. É importante salientar que os autores neoclássicos recusam a economia como ciência social, pois, negam a complexidade das interações sociais com sua visão tecnicista, baseada em modelos abstratos que não consideram a história e as relações humanas. Portanto, o objetivo desse trabalho é caracterizar a produção de conhecimento da economia da saúde no Brasil, delimitando a discussão existente no contexto da economia política, particularmente nas temáticas de Saúde suplementar e Planos de Saúde. Para tanto, o trabalho está organizado em três partes. A primeira apresenta o campo da economia política e sua relação com a economia da saúde, baseado na contribuição sobre o pensamento econômico em Braga e Paula. A segunda, revisa a produção do conhecimento em economia da saúde, organizada pela Associação Brasileira de Economia da Saúde (Abres), entre 2004 a 2012, que descreve as temáticas da Saúde Suplementar e dos Planos de Saúde, verificando sua relação com a economia política. A terceira parte analisa criticamente as convergências e divergências entre a produção do conhecimento da economia da saúde, nos subtemas saúde suplementar e planos de saúde e as contribuições de Braga e Paula sobre o pensamento econômico da economia política da saúde. Nessa análise global, identificamos que o pensamento neoclássico e liberal permanecerá hegemônico entre os autores e economistas que se aventuram pelo campo da economia da saúde enquanto à matriz curricular dos cursos de economia for alicerçada por conteúdo produzido por autores neoclássicos . Palavras -chave: Economia política da saúde, pensamento neoclássico, crítica marxista; saúde suplementar Pires, J. S. M. Scientific production in political economy in complementary health and health insurance plans in Brazil between 2004-2012. Dissertation-Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 2019. Abstract: The academic production in the area of health economics is a segment of the economy little explored by health professionals, perhaps due to the lack of theoretical knowledge and minimum interest of these professionals to deepen your own knowledge in this field. However, we used an important academic production in this area as the classic work of economics of political health wrote by Braga and Paula (1981) . The articles elaborated in the field of health economy are mostly based on the foundations of neoclassical economic theory. It is important to point out that neoclassical authors reject economics as a social science because they deny the complexity of social interactions with their technicist view, based on abstract models that do not consider history and human relations. Therefore, the objective of this work is to characterize the production of knowledge of health economics in Brazil, delimiting the existing discussion in the context of political economy, particularly in the themes of Supplementary Health and Health Plans. For this, the dissertation is organized in three parts. The first part of this dissertation presents the field of political economy and its relationship with the health economy, based on the contribution on economic thinking in Braga and Paula. The second part is a review of the production of knowledge in health economics, organized by the Brazilian Association of Health Economics (Abres), between 2004 and 2012, which describes the themes of Supplementary Health and Health Plans, verifying their relationship with political economy. During the third and last part, we critically analyzes the convergences and divergences between the production of knowledge of health economics, in the subthemes supplementary health and health plans and the contributions of Braga and Paula on the economic thinking of the political economy of health. In this global analysis, we have identified that neoclassical and liberal thinking will remain hegemonic among authors and economists into the field of health economics while the economy graduation courses remain based in models and material produced by neoclassic authors.
doi:10.11606/d.6.2020.tde-30082019-101012 fatcat:q5km35unczbbxd7j74vdh2xowy