EKPHRASIS E O DIÁLOGO INTERTEXTUAL EM PÉRICLES PRADE

Cardoso Álvaro, Gomes
unpublished
RESUMO-Este ensaio trabalha com o conceito de ekphrasis na obra de Péricles Prade, tentando mostrar como o autor descreve quadros, fotos e filmes, com a finalidade de criar um diálogo interdisciplinar entre a Literatura e as Artes Plásticas. PALAVRAS-CHAVE: ekphrasis, pintura, fotografia, filme, interdisciplinaridade ABSTRACT-This essay focuses on the concept of ekphrasis in the work of Pericles Prade, trying to show how the author describes paintings, photographs and films, in order to create
more » ... in order to create an interdisciplinary dialogue between Literature and the Visual Arts. A ficção de Péricles Prade é marcada pelo caráter insólito, pelo clima fantástico, pelo maravilhoso, que se dá, sobretudo, pela quebra da normalidade, suscitada pela intromissão de algo estranho, não explicável pela lógica comum. Mas também é possível falar na presença maciça, em seus contos, do discurso intertextual: o ficcionista como que dialoga com autores de determinado cânone, que constituem muitas vezes a fonte de sua inspiração. Neste particular, gostaríamos de destacar, neste ensaio, um tipo de diálogo intertextual muito específico na obra de Prade-aquele em que ele procura estabelecer uma ponte de significados entre diferentes tipos de linguagens, mais especificamente, a verbal e a não-verbal. Chamamos a atenção aqui para os comentários das imagens pictóricas, escultóricas, fotográficas e cinematográficas que ele promove em seus contos. Em outros termos, o autor utiliza-se aqui da técnica da ekphrasis, que "inicialmente designava a descrição em geral, mas logo passou a ser empregada também no sentido específico de descrição de uma obra de arte" (MOISÉS, 2002, p. 214). Para o exame 1 Professor Titular da USP e do Mestrado em Ciências Humanas da UNISA, ensaísta e romancista.
fatcat:3amm3owt3jfoziawrd7jh52jc4